Vacina representa esperança, mas cuidados contra a Covid ainda são necessários

EDITORIAL - DA REDAÇÃO

Data 24/11/2020
Horário 04:55

O governo do Estado de São Paulo e o Instituto Butantan anunciaram ontem que o estudo clínico da Coronavac, imunizante contra o novo coronavírus, chegou à fase final e os resultados deverão sair na primeira semana de dezembro. A previsão é que 46 milhões de doses estejam disponíveis no Brasil até janeiro de 2021.
Segundo o Estado, são 13 mil voluntários envolvidos nos estudos, que fazem uso do modelo duplo cego, no qual metade dos voluntários recebe doses de vacina, ao passo que aos demais é dado um placebo sem eficácia contra a doença. Nesse sentido, será possível identificar quantos voluntários infectados com a Covid-19 estavam ou não protegidos pelo imunizante.
O Estado destaca que o estudo já atingiu o patamar necessário para abertura da pesquisa e análise da eficácia. Isso porque, até o momento, 74 voluntários se infectaram, número superior ao mínimo requerido para esta etapa, que previa ao menos 61 participantes contaminados.
Se tudo der certo e o Instituto Butantan obtiver a aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para o imunizante, a vacina estará disponível nas unidades de saúde muito em breve, possibilitando que as pessoas tenham acesso à imunização contra a doença gratuitamente. Isso representará um passo imenso no enfrentamento ao novo coronavírus, considerando que, a partir da vacina, os cidadãos poderão de fato retomar suas vidas, sem a ameaça do vírus permanentemente presente no seu dia a dia.
Mas, enquanto isso não acontece, é muito importante que todos continuem respeitando os protocolos de higiene recomendados pelas autoridades de saúde, uma vez que, sem a vacina no mercado, estas medidas são a única forma de nos proteger e proteger aqueles que amamos contra a Covid-19.
Embora tenha ocorrido um relaxamento gradativo do isolamento social, isso não significa que a pandemia acabou. Pelo contrário, o vírus permanece fazendo novos casos diariamente. Desta forma, aglomerações ainda devem ser desencorajadas e, ao sair de casa, as pessoas devem sempre usar a máscara e fazer a devida higienização das mãos com o álcool 70%. Tais hábitos são fundamentais para que possamos viver com saúde e bem-estar até que os resultados dos estudos clínicos da vacina finalmente se concretizem.

Veja também