Valéria Kumizaki é esperança de pódio nas Olimpíadas de Tóquio

“2019 foi um ano corrido com muitas competições. Fui campeã dos jogos Pan então foi um ano lindo! 2020 está sendo um ano de paciência e aprendizado”, diz a carateca prudentina

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 27/09/2020
Horário 04:20
Força, garra e determinação a trouxeram onde está: brilhando entre os melhores
Força, garra e determinação a trouxeram onde está: brilhando entre os melhores

Com quatro medalhas consecutivas em Jogos Pan-Americanos a carateca prudentina, Valéria Kumizaki, é sem dúvida esperança nacional de mais um pódio nas Olimpíadas de Tóquio, no Japão - evento que ocorreria em 2020, mas por conta da pandemia da Covid-19 foi adiado para ocorrer em 2021, provavelmente entre os dias 23 de julho e 8 de agosto. “2019 foi um ano corrido com muitas competições. Fui campeã dos jogos Pan então foi um ano lindo! 2020 está sendo um ano de paciência e aprendizado. Estou usando esse tempo para corrigir e aperfeiçoar novas técnicas pra chegar no ano que vem mais que preparada!”, diz a atleta que trouxe a prata no Rio (2007), bronze em Guadalajara, no México (2011), ouro em Toronto, no Canadá (2015) e ouro no ano passado em Lima, no Peru.

É sabido que nem tudo são louros na trajetória da maioria dos atletas que sem o devido apoio precisam driblar muitas dificuldades ao longo de anos e anos de dedicação. Com Valéria que hoje conta com o patrocínio do Exército brasileiro, Unimed Presidente Prudente, AminoVital (Ajinomoto), Botica Nativa, Adidas, Vialaser, Physio one ( fisioterapia) e Bolsa Atleta não foi diferente.

“No meu caso minha maior dificuldade sempre foi não ter recurso financeiro para viajar. Se tivesse o apoio da Prefeitura poderia ser diferente. Hoje em dia graças a Deus tenho patrocínios. Há três anos abril um edital para atleta de caratê das Forças Armadas, me inscrevi, passei e tenho muito orgulho de ser do exército. Mas precisei me endividar [e muito] para estar entre as melhores do mundo e competir de igual pra igual com quem tem toda estrutura e apoio”, revela a carateca.

 

Uma gratidão para sempre

Valéria conta que começou no caratê meio que por acaso, em 2000. E garante que respira o caratê, arte marcial que lhe deu tudo que tem. E não se cansa de agradecer ao seu grande mestre, o sensei Renato Franco (in memoriam) por todo ensinamento e incentivo.

Quatro Anos depois de iniciar a arte ela se formou em Educação Física pela Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) em 200.

Aprendi tudo com ele! Não só técnicas de caratê, mas valores que levarei por minha vida toda. Quando eu tiver minha academia de caratê passarei tudo que aprendi com o Renato aos meus alunos. Hoje, com a ausência dele, levo comigo seu nome e sua história por onde for. Sempre honro e honrarei seu nome pelo resto de minha vida. E sempre serei grata por tê-lo como meu professor e pelo exemplo de pessoa que foi”!, exclama Valéria que já treinou com metade desse mundo e cita como países que mais gostou do estilo de treino, dentre vários: Irã, Japão, Turquia, Azerbaijão e  Marrocos.

 

Fotos: Facebook Pessoal e Geraldo de Paula Photographer

Atleta driblou as dificuldades ao longo de anos e anos de dedicação 

 

Valéria diz se orgulhar em fazer parte das Forças Armadas

 

O mundo pode ver essa comemoração novamente em Tóquio no ano que vem

 

 

Ela não se cansa de agradecer ao seu sensei Renato que tudo a ensinou 

Veja também