José Reis - Com suas famílias torcendo nas arquibancadas, atletas caíam na água para fazer bonito

Foto: José Reis - Com suas famílias torcendo nas arquibancadas, atletas caíam na água para fazer bonito

NA TORCIDA

Famílias incentivam nadadores em fase regional

Apoio aos atletas foi visto na tarde de ontem na Apea, na competição que classifica para a final estadual dos Jogos Infantis em Dracena, de 26 de setembro a 5 de outubro

  • 22/08/2019 08:27
  • OSLAINE SILVA - Da Reportagem Local

Mesmo com a tarde seca e quente de ontem, o clima era outro no parque aquático da Apea (Associação Prudentina de Esportes Atléticos), em Presidente Prudente, com a realização da fase regional dos 2º Jogos Infantis, que classifica o primeiro colocado para a fase final estadual dos Jogos Infantis, em Dracena, de 26 de setembro a 5 de outubro. E o bacana foi ver não apenas os atletas dentro d’água, mas famílias inteiras sentadas nas arquibancadas à beira da piscina de competição torcendo por seus nadadores. 

Como a professora Natiele Silva Lameira, 36 anos, que veio de Presidente Epitácio com seu caçulinha, Tales, e a mãe Luzinete para acompanhar a primeira competição do seu filho Heitor, de 13 anos, que disputou na prova no nado peito, uma modalidade que exige muita coordenação e técnica do atleta. “Nossa estou muito emocionada. O coração parece que vai sair pela boca e ele está tranquilo [risos]”, disse a mãe toda orgulhosa.

Quem também deixava clara a ansiedade era Juliana Barbosa Pereira, 28 anos, a professora de natação epitaciana de Heitor e dos colegas que vieram competir também, José Miguel Amaro de Araújo, 12 anos, que disputou na prova de nado crawl e borboleta, e Sanderson Alexandre Correa Viana, 12.

“Não tem como não ficar ansiosa [risos] porque a gente compartilha de um mesmo aprendizado nas aulas. Eu respiro a natação e se for para defini-la em uma palavra, acho que seria ‘esperança’. Esperança de algo melhor na e para a vida!”, exclama a professora epitaciana.

A todo vapor

“Nosso objetivo é conquistar o maior número de atletas possível para a final. E temos não apenas chances, mas ótimas expectativas de classificar vários nadadores, pelo nível da competição, tanto feminino, quanto masculino para brigarem pelo título”, enfatiza Elvancir Pereira do Nascimento, o Pépe, técnico que está há 26 anos à frente da equipe prudentina da Semepp (Secretaria Municipal de Esportes)/Criarte/Pruden-Aço/Apan.

O treinador ressalta a ótima participação de 13 dos seus atletas que, no fim de semana, participaram da seletiva dos Jogos Escolares Estaduais, no Sport Club Corinthians, em São Paulo, destacando que dentre estes, oito ficaram entre os três primeiros.

“O Bruno Hosokawa de Oliveira [mirim 12 a 14 anos] ficou em segundo nas provas dos 50 e 100 peito, e 200 medley. Já está pré-convocado para os Jogos Escolares, que será de 28 a 30 de novembro em Blumenau [SC]. E temos outro atleta que está na eminência de entrar, que é o Daniel Antonio Valente Lima, vai depender da segunda fase que será realizada amanhã, em Votuporanga [SP]”, acentua o técnico prudentino.

Sobre a conexão, atleta/água/piscina/raias, Pépe diz que a natação é um esporte diferenciado, primeiramente porque para praticá-la precisa ter muita dedicação, determinação... “porque você ficar contando azulejos de quatro a cinco horas todos os dias, não é fácil”, diz ele. Além disso, o técnico reforça que é um esporte que mexe com todo o corpo, músculos, sistema circulatório, respiratório, cardíaco. “E a determinação dos atletas faz com que a modalidade que é tradicional de tantos anos e com tantos atletas olímpicos, se torne o carro chefe de competições internacionais, como fizemos bonito com o segundo lugar ficando atrás apenas da potência americana [Estados Unidos], no mês passado nos Jogos Pan-Americanos, em Lima, no Peru!”, exclama o técnico.

Bruno diz que está bem animado e preparado para as competições desse semestre. “Estou treinando bastante porque quero um bom resultado. Quem sabe melhorar marca que até agora é 4’58 nos 400 medley”, expõe o jovem nadador, que começou a praticar natação há seis anos após ter se afogado. “Minha mãe resolveu me colocar na natação e eu peguei gosto”, frisa o garoto que é uma das promessas da equipe.

Apoiar é preciso

Pépe aproveita para agradecer todos os apoiadores da equipe: Semepp, Criarte, Pruden-Aço, Medinas. Falando um pouco maios sobre essa questão de apoio, de patrocínio ele diz que é importante para ambos os lados.

“Primeiramente, as empresas que investem no esporte estão enaltecendo a sua marca porque está investindo em algo bom, a saúde. Por isso temos que agradecer ao Colégio Criarte, por meio do diretor, Márcio Augusto Orbolato Rodrigues, que nos dá bolsa de estudo, a Pruden-Aço que há mais de 16 anos nos ajuda com dinheiro numa competição ou outra, Medinas com uniformes. Enfim, se não fosse esses patrocinadores não teríamos como nos manter”, acentua o técnico.

 

Fotos: José Reis

Natiele aguardava momento da 1ª competição do filho, Hugo

 

Professora Juliana, de Epitácio, diz que é impossível não ficar ansiosa com seus alunos