José Reis - Ciesp aponta que couro (foto), açúcar e sementes sempre geram “bons negócios” na região

Foto: José Reis - Ciesp aponta que couro (foto), açúcar e sementes sempre geram “bons negócios” na região

MAIS NEGÓCIOS

Balança comercial atinge US$ 105,5 milhões na região e expectativas são positivas ao setor

No primeiro semestre, operações alcançaram US$ 127.318.048 em exportações e US$ 21.760.855 em importações

  • 06/07/2019 04:00
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

A balança comercial na região de Presidente Prudente fechou o primeiro semestre de 2019 com saldo de US$ 105.557.193. Isso quer dizer que, nos municípios com operações, ocorreram mais exportações do que importações: sinal positivo. Os dados são do MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços), de janeiro a junho desse ano. Para o diretor regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Wadir Olivetti Junior, a efetivação do acordo entre Mercosul e União Europeia, ainda em tratativas, podem impulsionar ainda mais os negócios na região.

Na ponta do lápis, foram 21 cidades que realizaram exportações, isto é, venderam produtos para outros países, contra 16 que importaram: compraram de fora. E no comparativo, conforme os números do órgão ministerial, respectivamente, as operações chegam ao valor US$ 127.318.048 e US$ 21.760.855, totalizando o saldo acima de US$ 100 milhões.

O destaque dos municípios ficou para o Junqueirópolis, com superávit de US$ 22.632.280. Wadir explica que a localidade acaba impulsionada pela venda do biodiesel, que “é forte naquela região”, por contas das usinas.

Mas no contexto geral, ele analisa e aponta produtos como o couro, açúcar e sementes, que sempre são “bons negócios por aqui”, na região de Prudente, e ajudam no saldo positivo da balança comercial. A capital da Alta Sorocabana, por exemplo, tem um saldo na balança de USS 19.988.159,00.

Saldo esse que é visto por ele como um número expressivo, “bom”, mas que já foi melhor em outros anos. “Mas isso oscila bastante e esperamos que, no próximo semestre, o comércio impulsione um número ainda mais positivo para nós”, complementa Wadir.

Acordo comercial

E uma das ações que podem fomentar para que o saldo da balança comercial regional seja ainda mais positivo, segundo Wadir, e o fato de Mercosul e a União Europeia anunciarem um acordo comercial que, dentre outras coisas, promete zerar tarifas para produtos agrícolas brasileiros como suco de laranja, frutas, café solúvel, peixes, crustáceos e óleos vegetais, e cotas para venda de carnes, açúcar e etanol.

O texto completo será divulgado, no entanto, alguns setores já analisam possíveis reflexos à região. A FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), por exemplo, se manifestou dizendo que o tratado garantirá ao Brasil acesso a produtos europeus com tecnologia de ponta a preços mais atrativos, além de alavancar as vendas de produtos do agronegócio.

O diretor regional do Ciesp garante que a “médio e longo prazo” o reflexo será “muito positivo”, pois aumentarão as portas existentes lá fora, com mais possibilidades de comércio. “A principio, ainda estaremos reconhecendo o terreno, mas nos próximos anos vamos ter umas diretrizes mais definidas. E tudo isso vai depender de amadurecimento do acordo”, completa Wadir.

No comércio

Quem conta esse amadurecimento do acordo também é o gerente comercial da loja Grand Cru, José Eduardo Darce Pinheiro. O estabelecimento comercializa vinhos importados em Prudente e, de acordo com ele, “a tendência é uma baixa no imposto do vinho, alíquota, que pode chegar a 27%”, o que é bom para o setor. Mas como tudo “ainda é uma expectativa”, ele garante que tudo pode ser benéfico, se efetivado.

Saldo da balança comercial – 1º semestre

Municípios

Exportação (US$)

Importação (US$)

Saldo (US$)

Adamantina

8.513.337,00

404.682,00

8.108.655,00

Alfredo Marcondes

2.088.950,00

2.401.251,00

-312.301,00

Álvares Machado

1.950.584,00

196.468,00

1.754.116,00

Dracena

152.680,00

233.652,00

-80.972,00

Indiana

 

76.607,00

 -76.607,00

Junqueirópolis

22.635.684,00

3.404,00

22.632.280,00

Lucélia

2.693.291,00

208.019,00

2.485.272,00

Mariápolis

346,00

 

346,00

Mirante do Paranapanema

 1.411.407,00

 

1.411.407,00

Monte Castelo

691.386,00

 

691.386,00

Narandiba

3.100.770,00

 

3.100.770,00

Osvaldo Cruz

19.549.830,00

1.515.413,00

 18.034.417,00

Paulicéia

33.175,00

 

 33.175,00

Pirapozinho

19.469.953,00

5.811.215,00

13.658.738,00

Presidente Bernardes

904.542,00

48.925,00

855.617,00

Presidente Epitácio

27.106,00

1.322.918,00

 -1.295.812,00

Presidente Prudente

24.935.904,00

4.947.745,00

19.988.159,00

Presidente Venceslau

 

1.440,00

-1.440,00

Rancharia

 13.253.926,00

273.634,00

 12.980.292,00

Regente Feijó

 3.426.230,00

4.314.497,00

-888.267,00

Ribeirão dos Índios

558.096,00

 

558.096,00

Santo Anastácio

1.095.335,00

985,00

1.094.350,00

Taciba

 825.516,00

 

 825.516,00

TOTAL

  127.318.048,00

       21.760.855,00

105.557.193,00

Fonte: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços