Casal evolui em Internacional

Namorados, os parabadmintonistas Rogério Xavier e Eduarda de Oliveira Dias, ambos da equipe do Sesi-SP, participaram do campeonato no CPB (Centro Paraolímpico Brasileiro), em São Paulo

Foto: Cedida/ Mayara Bacarin - Rogério e Duda tiveram bom desempenho no Internacional de Parabadminton, na capital paulista Foto: Foto: Cedida/ Mayara Bacarin - Rogério e Duda tiveram bom desempenho no Internacional de Parabadminton, na capital paulista

Que Presidente Prudente tem grandes talentos no esporte, isso todo mundo sabe. E, para alegria dos apaixonados por modalidades, o ano já começou com participações em grandes campeonatos, inclusive, internacionais, como é o caso dos atletas Rogério Júnior Xavier de Oliveira e Eduarda de Oliveira Dias, a Duda, ambos da equipe de Badminton do Sesi-SP (Serviço Social da Indústria), de Presidente Prudente. O pódio almejado dessa vez foi o do 2º Brasil Internacional de Parabadminton, que ocorreu de 10 a 15 deste mês, no CPB (Centro Paraolímpico Brasileiro), em São Paulo.

De acordo com a técnica da equipe, Mayara Bacarin Bressanin, a participação dos dois atletas foi de suma importância, ainda mais se tratando de uma experiência de nível internacional e, que, por mais que não tenham vencido as categorias, explica que o desempenho de ambos foi satisfatório. 

No caso de Rogério, Mayara explica que o atleta já participou de outras competições internacionais, então já tem uma noção de como é o calor de cada partida. “Ele é um atleta que tem um baita potencial, mas eu sei o quanto que o nível internacional estava avançado. Então, nessa competição ele conseguiu sair da chave de grupo, ou seja, fez uma competição muito boa”, expõe a técnica.

 

EVOLUÇÃO TÉCNICA

DOS ATLETAS

No que diz respeito a essa evolução, a técnica explica que ele venceu atletas importantes e, nas oitavas, pegou um jogo um pouco mais complicado, que foi contra um coreano. “Ele encerrou a participação nas oitavas, mas eu considero uma boa participação, porque nas últimas competições internacionais ele parava na chave de grupo”, diz Mayara.

Tida como estreante em competições internacionais, Eduarda de Oliveira Dias, Duda, passou pela classificação funcional e se enquadrou na categoria SL-4, a mesma de Rogério. “A nossa intenção foi que ela pudesse ter uma experiência internacional, aproveitando que a competição era no Brasil. O foco dela hoje, até as Olimpíadas de Tóquio, é o vôlei sentado. Então, fomos para ter uma experiência a nível internacional. A Duda não ganhou, mas ela realmente conheceu o nível de competição, que é forte, mas que a gente sabe que é possível quando o foco for o Parabadminton”, destacou a técnica.

A dupla, que também é um casal fora de quadra, participou, junto, de uma competição mista e chegou a  ganhar um jogo, mas, infelizmente, não trouxe a medalha para casa. 

 

Veja também