Conscientização deve se manter, independente de período pandêmico

EDITORIAL -

Data 27/03/2020
Horário 04:10

Todos os anos é a mesma coisa. A Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe é divulgada bem antes de começar. O público-alvo é chamado a comparecer. Mas poucas cidades atingem a meta na data imposta pelo Ministério da Saúde. E aí, quase sempre, o prazo é prorrogado. Uma, duas, ou até mais. Porque falta conscientização...

Em 2020, porém, tem sido diferente. A ação mal começou e já faltam vacinas nos postos de saúde de vários municípios. Mais do que conscientes, as pessoas estão com medo.

Isso porque, até ontem, conforme divulgado neste diário, o Brasil já somava mais de 2,9 mil casos confirmados do novo coronavírus e 77 mortes causadas pela infecção. Apesar de a vacina proteger apenas contra os vírus mais comuns da gripe, ela acaba auxiliando os profissionais na exclusão do diagnóstico para Covid-19, já que os sintomas são bem parecidos e, assim, consequentemente, ajuda a reduzir o movimento nas unidades de saúde.

A conscientização é importante. Porém, em tempos de quarentena, como este que estamos vivendo, é preciso também cautela.  Não há motivo para pânico, para sair enfrentando filas nos postos, tendo contato com várias pessoas e se expondo ao contágio desta temível doença. A orientação que mais temos escutado nos últimos dias prevalece: evite aglomerações.

A campanha, que pretende imunizar na região de Presidente Prudente 295.687 pessoas, segue até 22 de maio. Ao mesmo tempo em que as doses acabam, devido à grande procura, elas têm sido repostas. O ideal é permanecer em casa e só se dirigir à unidade de saúde quando tiver certeza que há vacina disponível. Se informe pela mídia, ligue no posto, aproveite as iniciativas que vem sendo oferecidas - quando houver - para se imunizarem dentro do carro.

Além do novo coronavírus, temos as velhas doenças já conhecidas, que ano a ano continuam fazendo vítimas. A Influenza A (H1N1), por exemplo, que o mundo conheceu também de forma assustadora em 2009, já infectou três pessoas em Prudente, em 2020. A dengue, conforme novo balanço da VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) divulgado ontem, ultrapassa mil casos. Que essa conscientização, tão evidenciada agora e sempre necessária, continue também após a pandemia...

Veja também