Cultura cede espaço para lives e gravações

Espaço Laje, do Matarazzo, bem como equipamentos, ficarão disponíveis aos artistas de Prudente até o dia 30 deste mês; agendamento é feito por e-mail

VARIEDADES - DA REDAÇÃO

Data 08/04/2020
Horário 06:50
Arquivo - Cessão do espaço, localizado no Centro Cultural Matarazzo, será gratuita Foto: Arquivo - Cessão do espaço, localizado no Centro Cultural Matarazzo, será gratuita

O Governo de Presidente Prudente, por meio da Secult (Secretaria Municipal de Cultura), disponibilizará a partir da próxima segunda-feira e até o dia 30 deste mês, o Espaço Laje, no Centro Cultural Matarazzo, para que os artistas da cidade possam realizar transmissões ao vivo, conhecidas como lives, ou gravações para disponibilizar de forma on-line aos seus seguidores.

Conforme explica o secretário de Cultura, Paulo Silvio da Costa Sanches, a cessão do espaço será gratuita e incluirá ainda a disponibilização de todo equipamento, como sonorização, luz, acesso à internet, além da supervisão de um técnico da pasta e divulgação nas redes sociais da secretaria.

Os interessados em utilizar o espaço deverão realizar o agendamento pelo e-mail: difusao@culturapp..com.br. Vale reforçar que cada live ou gravação poderá contar com a participação de até quatro integrantes, de modo que não haja aglomeração. Os horários e a programação serão definidos pela Secult.

“É MAIS UMA FORMA DE ENALTECERMOS A CULTURA LOCAL, BEM COMO PROMOVERMOS ENTRETENIMENTO AOS PRUDENTINOS”

Paulo Silvio da Costa Sanches

O secretário pontua ainda que o grupo ou o artista poderá solicitar aos internautas a contribuição voluntária do couvert artístico e que os direitos de imagem e autoral serão de responsabilidade do grupo ou do artista.

“É mais uma forma de enaltecermos a cultura local, bem como promovermos entretenimento aos prudentinos, e a pessoas de diferentes localidades, porque o alcance virtual é imensurável. Além disso, é uma estratégia para contribuirmos de alguma forma com os artistas locais neste momento tão difícil que todos estamos vivendo”, pontua Paulo.

 

 

 

 

 

 

Veja também