De quem é o poder?

  • 18/02/2020 05:30
  • Arlette Piai

Um levantamento ocorrido em Brasília chegou aos afortunados números destinados aos deputados federais com a grana do povo: 432 apartamentos de 200 metros quadrados; mais auxílio moradia de R$ 4 mil mensais; mais passagens aéreas R$ 27 mil mensais; mais auxílio paletó R$ 53.400,00 por mês; mais contrato para assessores R$ 101 mil; mais restaurantes e miudezas: R$ 45 mil por mês; telefone, gasolina custo ilimitado, saúde: custo ilimitado; dentista: custo ilimitado. Resumindo, cada deputado federal gasta R$ 312 milhões por mês, ou seja, aproximadamente de R$ 2 bilhões por ano.

No Senado é pior: apartamentos dos senadores de 500 metros quadrados. O STF: 11 ministros e para servir cada ministro 222 funcionários; mais 85 secretários; mais 116 serventes de limpeza; mais 24 copeiros; mais 27 garçons; mais pensão vitalícia às filhas solteiras de ex-servidores de R$ 33,7 mil por mês no total de R$ 34 milhões. As despesas deste ano só em viagens e diárias, custo: R$ 1,13 bilhão.

E agora, leitor? “Fechar o Congresso?” Seria mesmo ótimo se a história não mostrasse que a ditadura é uma velha senhora que hoje te acaricia e amanhã te devora. E, então, é possível reverter esse quadro? A história nos mostra que sim, assim: 1. Com o poder de mobilização - unidos venceremos – proava-se que o poder é do povo.  2. Fim de carreira política, ou seja, não os tornar vitalícios. Dados: Na última eleição de São Paulo ocorreu significativa renovação do Legislativo: Os estreantes gastaram menos da cota parlamentar, apresentaram 42% de projetos com propostas significativos, foram estrategistas para se relacionar com os mais velhos, que geralmente rejeitam os novos, conduzindo a articulação inteligente. E não cometeram, por enquanto, nenhum delito.

Se você, leitor, tem potencial para “fazer mudar”, por que não se candidata? Se assumir, por exemplo, o compromisso para a aprovação de lei no nosso município que proíba a reeleição - começando pelos vereadores; creia, está eleito. Assim será possível mudar o perfil do nosso município, depois do Estado, país!! Você pode fazer a diferença e deixar a marca na caminhada desta nossa rápida passagem pela terra. Afinal, somente “sobreviver com conforto e procriar”, até mesmo a ameba o faz, e muito bem.

ÚLTIMAS DO AUTOR

Ócio criativo

  • 31/03/2020 04:15

União ou nada

  • 24/03/2020 04:11

Pós-modernidade

  • 17/03/2020 04:03
Arlette Piai

Arlette Piai

Arlette Piai é professora e escritora.

Contato: lingua.brasileira@terra.com.br

PUBLICIDADE