Empresários prudentinos mostram interesse pelo CIT

Distrito turístico precisa apenas que o Estado dê concessão definitiva do Recinto de Exposições ao município para entrar oficialmente em atividade

VARIEDADES - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 22/05/2020
Horário 05:00
Cedida - Representantes de entidades prudentinas visitaram o Recinto de Exposições na quarta-feira Foto: Cedida - Representantes de entidades prudentinas visitaram o Recinto de Exposições na quarta-feira

O CIT (Centro de Integração Turística) já foi anunciado pela Setur (Secretaria Municipal de Turismo) de Presidente Prudente, mas a sua implementação oficial depende, explica o secretário José Fábio Sousa Nougueira, que o Estado autorize a concessão definitiva do Recinto de Exposições Jacob Tosello à municipalidade. Segundo ele, de acordo com fontes oficiosas, tal trâmite, com boa vontade do governo, levaria poucas semanas.

Como exemplo, ele cita o Centro de Eventos IBC (Instituto Brasileiro do Café), que pertencia ao governo federal e era concedido temporariamente ao município. Depois a Secult (Secretaria Municipal de Cultura) solicitou e obteve a concessão definitiva, “até para justificar os investimentos no espaço”, pontua Fábio, que era o titular da pasta à época.

Enquanto essa definição não ocorre, o secretário afirma fazer aquilo que a lei permite, ou seja, articular com empresários locais, cujas atividades estejam ligadas ao turismo, de modo a quando o CIT estiver pronto para receber empresas, as empresas estejam prontas para instalarem-se. “Se o CIT estivesse autorizado hoje, já teríamos seis empresas lá, todas do ramo de eventos, festas, locação de tendas, som, luzes... e sediadas em Prudente”, garante Nougueira.

TRATATIVAS A

TODO VAPOR

Os últimos dias foram movimentados em relação às tratativas sobre a transformação do Recinto de Exposições em CIT, com reuniões com instituições, empresários e representantes das entidades prudentinas. Na terça-feira, o secretário recebeu o presidente dos Escoteiros Monte Carmelo, Luciano Oshica Ida e o chefe de tropa da entidade, Carlos de Castro, o Calico e o empresário Rafael Borges, proprietário da Cervejaria 018.

“Eu avalio este encontro como positivo e eu entendo que esta mudança vem ao encontro dos nossos anseios, pois necessitamos sim de uma parceria com o poder”, pontuou Luciano.

Rafael, por sua vez, já projeta as potencialidades do CIT. “Podemos desenvolver um Polo Cervejeiro como tem em outras cidades e Prudente tem essa capacidade. Agora é hora de retomar esse diálogo”, ressalta, ao passo que propõe, no local, um futuro OktoberFest, aos moldes blumenauenses.

Na quarta-feira, visitaram o recinto o gerente regional do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), José Carlos Cavalcante; o presidente da Aviesp (Associação das Agências de Viagem do Interior do Estado de São Paulo), Marcos Lucas; o presidente da UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente), Marcelo Fritschy; e outro proprietário da Cervejaria 018, Murilo Cassis.

 “SE O CIT ESTIVESSE AUTORIZADO HOJE, JÁ TERÍAMOS SEIS EMPRESAS LÁ, TODAS DO RAMO DE EVENTOS, FESTAS, LOCAÇÃO DE TENDAS, SOM, LUZES... E SEDIADAS EM PRUDENTE”

José Fábio Sousa Nougueira

Na ocasião, Fábio Nougueira apresentou toda a estrutura do local, contou de forma detalhada o novo projeto. Os representantes, além de dar sugestões, demonstraram interesse em integrar o CIT, afirma o secretário.

Todos destacaram a importância de se investir no turismo local, a boa localização do CIT com saída rápida por uma das principais rodovias do Estado, a Raposo Tavares (SP-270), com fácil ligação a outras regiões de São Paulo, além da capital e outros Estados (Paraná e Mato Grosso do Sul). Outro destaque é a necessidade de rápida concessão definitiva por parte do Estado.

A reportagem contatou a assessoria de imprensa do governo estadual e foi informada que o Estado não poderia se posicionar, pois ainda aguarda a solicitação da concessão definitiva para análise.

(((BOX)))

O que é o CIT?
O CIT pode ser compreendido como um distrito industrial, porém, dedicado exclusivamente ao turismo. O objetivo principal é de possibilitar que o turismo se torne um dos grandes geradores de emprego. A ideia inicial, proposta, é centralizar e agregar setores e segmentos do turismo, em um local equipado e projetado para suprir necessidades de empresas e também do microempreendedor individual.

 

Fotos – Cedidas

Fábio Nogueira recebeu representantes do Grupo Escoteiro Monte Carmelo para tratativas


Em reunião com o secretário, proprietário da cervejaria 018 propôs um OktoberFest prudentino

 

 

 

Publicidade
eixosp

Veja também