Estado confirma morte por Covid-19 em Dracena

Idoso de 64 anos havia sido diagnosticado com a doença por um laboratório particular e aguardava os resultados do Instituto Adolfo Lutz, que saíram hoje

REGIÃO - GABRIEL BUOSI

Data 04/04/2020
Horário 21:05
Josué Damacena (IOC-Fiocruz): Resultado do exame saiu hoje Foto: Josué Damacena (IOC-Fiocruz): Resultado do exame saiu hoje

O Estado de São Paulo divulgou no fim da tarde de hoje a primeira morte confirmada por Covid-19 na região de Presidente Prudente. Isso porque, dentro da lista dos 41 novos óbitos no Estado considerados neste sábado, está o caso do homem de 64 anos que faleceu ontem em Dracena. A doença já havia sido confirmada anteriormente pelo município, por meio de um laboratório particular, mas a confirmação por parte do Estado ocorreu apenas hoje.

Conforme noticiado por O Imparcial anteriormente, a morte do homem de 64 anos ocorreu às 9h40 de ontem, na Santa Casa de Misericórdia de Dracena. Ele tinha histórico de viagem recente para outro Estado, e foi o primeiro paciente da cidade com confirmação do novo coronavírus, após o exame para detecção do vírus SARS-CoV-2 junto ao Laboratório Hermes Pardini, em Belo Horizonte, atestar positivo para a doença, na quarta-feira. Ele estava internado no leito de isolamento da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa.

Vale lembrar que, na manhã de hoje, a Prefeitura de Dracena informou a segunda morte suspeita por Covid-19 no município. Na ocasião, ressaltou que trata-se de um idoso de 63 anos, que estava internado na UTI da Santa Casa da cidade. “As amostras da vítima foram colhidas no início da semana, e ainda aguardam confirmação do IAL (Instituto Adolfo Lutz), na capital paulista”.

Em nota na página oficial do Facebook, o Executivo informou que o óbito ocorreu por volta das 0h45 de hoje, e a Secretaria Municipal de Saúde foi notificada oficialmente às 7h21. “A Secretaria de Saúde informa que toda a família que teve contato direto ou indireto com este senhor, está sendo orientada a ficar em isolamento social por 14 dias, desde quando se deu a suspeita”, completa.

Publicidade
eixosp

Veja também