PRUDENTE

Lei Maria da Penha é acionada duas vezes em menos de 7 horas

No Jardim Alexandrina, foi registrado um caso de agressão; pouco tempo depois, um homem descumpriu mandado de medida protetiva no Ana Jacinta

  • 19/08/2019 11:31
  • MARCO VINICIUS ROPELLI - Especial para O Imparcial

Dois homens foram presos, em Presidente Prudente, por praticarem atos que infringem a Lei Maria da Penha, cujo objetivo é a proteção das mulheres contra a violência doméstica.

O primeiro caso ocorreu na noite de ontem, no Jardim Alexandrina. Segundo o boletim de ocorrência, a vítima, 31 anos, decidiu discutir com o marido o desejo de encerrar a relação conjugal. O indiciado, 37 anos, por sua vez, não aceitou ter a conversa, irritou-se e, em um ato de agressividade, a enforcou, causando lesões na garganta e no lado direito do rosto.

Segundo a vítima, esse não foi um caso isolado de violência doméstica. Ela mostrou aos policiais uma lesão na face esquerda, que afirmou ter sido causada por outra agressão, ocorrida três semanas antes, além de diversas cicatrizes pelo corpo, segundo a esposa, provenientes de violências sofridas no passado.

O indiciado alegou sofrer de depressão, motivo de ter se descontrolado. De qualquer modo, foi decretada a prisão em flagrante do homem, que, tendo em vista o histórico de agressões, foi convertida pela autoridade competente em prisão preventiva.

 

Ana Jacinta

Menos de sete horas após o primeiro crime, já na madrugada de hoje, outro caso foi registrado pelo policiamento, desta vez no Conjunto Habitacional Ana Jacinta. Um homem, de 38 anos, foi detido e preso em flagrante depois de descumprir o mandado de medida protetiva. De acordo com a vítima, 21 anos, há dois inquéritos contra o ex-companheiro tramitando na DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) e, para cada investigação, uma medida protetiva foi decretada.

Segundo a Polícia Civil, a jovem, ao chegar em casa, notou que o indiciado estava a observando há um quarteirão de sua residência, o que a motivou acionar o Copom (Centro de Operações da Polícia Militar). Cerca de 20 minutos depois, o policiamento chegou e o homem continuava no local, situação que o fez ser preso em flagrante.

Pouco antes da chegada dos militares, o indiciado, de acordo com o que mostrou a vítima em seu aparelho celular, estava mandando a ela mensagens cujo teor não foi divulgado. Considerando que as medidas protetivas impostas não foram suficientes para mantê-lo longe da ex-companheira, a autoridade responsável decidiu por deixá-lo em prisão preventiva.