Polícia Civil - Autora foi pega em flagrante pelos policiais deteriorando veículo de ex-companheiro

Foto: Polícia Civil - Autora foi pega em flagrante pelos policiais deteriorando veículo de ex-companheiro

PIRAPOZINHO

Mulher é presa por desacato e dano qualificado

De acordo com a Polícia Civil, autora foi pega pelos policiais deteriorando o carro do ex-companheiro, além de desferir xingamentos contra os agentes

  • 14/08/2019 20:02
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Uma mulher de 44 anos foi presa em flagrante pelo crime de desacato e dano qualificado, por volta das 17h de hoje, em Pirapozinho. Segundo informações da Polícia Civil, ela foi pega deteriorando o carro do ex-companheiro, pelos próprios policiais, momento em que começou a desferir xingamentos contra os agentes.

O delegado Rafael Galvão narra que caminhava pela Rua Antenor Ferreira Soares, no Jardim Campo Belo, como a equipe policial, quando presenciou a cena da autora atingindo o carro do ex-companheiro, 52 anos, com tijolos e um pedaço de pau. Segundo a vítima, ela estaria o atacando por motivos de “ciúmes”. Já a mulher, como consta no boletim de ocorrência, alegou que o homem a perseguia e possuía, inclusive, uma medida protetiva contra ele.

A autoridade policial não deixa de ressaltar que a mulher precisou ser algemada, pois ficou nervosa com a presença policial, momento em que começou a ofender os policiais, dizendo ainda que não “tinha medo da lei e nem das armas”, segundo o documento policial.

Ambos foram encaminhados à delegacia, em vista de averiguar o crime do art. 24-A da Lei Maria da Penha, pela possibilidade de o homem ter violado a medida protetiva. A vítima argumentou ao policiamento que estavam juntos de forma espontânea e que a própria mulher o convidava para sair. À reportagem, o policiamento detalha que duas testemunhas foram convocadas na unidade policial e confirmaram a versão do agredido.

Diante dos fatos, o homem foi liberado. Já contra a autora, o delegado decretou prisão em flagrante pelos crimes anteriormente expostos, uma vez que os policiais civis a localizaram na prática dos delitos. Foi arbitrada fiança de R$ 5 mil, que não foi paga.