INVESTIGAÇÃO

Operação conjunta prende homem acusado por incêndio criminoso

Indivíduo é suspeito de ter incendiado uma residência em que estavam mãe e filho; ambos estão internados em estado grave em hospitais da região

  • 07/08/2019 15:46
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Uma operação conjunta entre as delegacias de Polícia Civil de Tarabai e Teodoro Sampaio prendeu nesta tarde um homem de 44 anos, acusado por incendiar uma residência em que estavam mãe e filho. O crime ocorreu no dia 24 de julho, em Tarabai. As vítimas, de 29 e 46 anos, estão internadas com estados de saúde considerados “graves” em hospitais da Presidente Prudente e São José do Rio Preto.

Como noticiado por este diário, a suspeita é de que o incêndio tenha sido criminoso. O delegado de Polícia Civil em Tarabai, Rafael Guerreiro Galvão, explica que após tomar conhecimento dos fatos, teve o acusado como suspeito de cometer o crime. Desta forma, reuniu provas, interrogou vizinhos e policiais militares e representou pela prisão preventiva do investigado, deferida na semana passada.

“[Se comprovada autoria], o homem será indiciado por incêndio doloso e duplo homicídio qualificado na forma tentada”, salienta Galvão. O acusado, que trabalha como pedreiro, estava sendo procurado desde a quinta-feira. Apesar de o crime ter sido cometido em Tarabai, o ele foi preso em Teodoro Sampaio, onde residem os familiares.

Álcool e desentendimento

Segundo o delegado João Paulo Tardin, titular da delegacia em Teodoro, em um primeiro momento o indivíduo negou a autoria do crime. No entanto, contou detalhes do que ocorreu momentos antes de o imóvel ser incendiado. “Ele tinha um relacionamento amoroso com a vítima. Conta que no dia do incêndio havia saído para ingerir bebida alcóolica com o filho dela [também vítima]. Após o consumo excessivo, houve um desentendimento com o rapaz”, explica.

Em depoimento na Polícia Civil, o preso disse que só tomou conhecimento do incêndio no começo da manhã, depois que retornou para a casa. “Não soube indicar quem possa ser o autor do crime. Segundo ele, já pela manhã, estava caminhando pela rua e quando viu a viatura da Polícia Militar, ficou escondido próximo a eucaliptos”, afirma Tardin. Minutos depois o indivíduo foi detido e solto, uma vez que não havia flagrante.