Perdi meu emprego, e agora?

OPINIÃO - Marcos Alves Borba

Data 03/06/2020
Horário 04:13

Dias atrás e isso não faz muito tempo, muitas pessoas, inclusive vários amigos, perderam seus empregos. Muitos deles pais e mães de família, que necessariamente dependiam daquele salário. Alguns de maneira leve se manifestavam aos mais próximos, entre familiares e amigos, ficando na busca de onde recomeçar. Outros preferiram o silêncio, procurando o refúgio de seu lar, sem se manifestar a ninguém e intrinsecamente optaram pelas lágrimas, e assim se isolando temporariamente como um manifesto de sua total indignação. Entendemos isso, pois é como se te tirassem o chão. Nada fácil, principalmente a quem passa ou já passou por isso.

Em momentos de crise, quando manter a nossa motivação intrínseca, aquela que vem de dentro e que é a mais poderosa de nós mesmo? Como saber resolver aqueles problemas que te afetam? Assim, de maneira lúcida e eficaz, busco a teoria da autodeterminação, aquela desenvolvida pelos pesquisadores Edward Deci e Richard Ryan da Universidade de Rochester. Que nos diz que pra estimular a motivação, basicamente existem três necessidades que a gente precisa estimular e precisa satisfazer na verdade.

A primeira é a autonomia, que se refere ao nosso poder de escolha, da gente estar no centro da nossa decisão, da gente estar decidindo o nosso caminho. A segunda é a competência, que diz respeito a nossa capacidade de lidar com o meio que nos cerca e também da gente lidar com a gente mesmo. E a terceira é a necessidade de nos relacionarmos como pessoas.

Assim, se você atender e entender essas três necessidades, a sua motivação intrínseca, aquela que vem de dentro, a mais poderosa, será elevada. Podemos escolher estar no centro da escolha, de como decidir e reagir à crise, escolher como aumentar nossa competência pra lidar com ela e como fortalecer nossos relacionamentos. Explorar esses caminhos é um aspecto muito importante para que você possa ter um apoio, um auxílio de alguém e tentar fugir do estresse.

Reflita um pouco sobre como você está satisfazendo suas necessidades de autonomia, como você está satisfazendo suas necessidades de competência, como você está satisfazendo suas necessidades de relacionamentos, durante essa crise. E se possível, não se prenda a jargões que em alguns momentos só te prendem a ficar onde está não lhe dando o livre arbítrio de ação. Determine seu foco e muita coragem nessa hora!

Veja também