Polícia Civil desmantela célula criminosa e prende 9 traficantes

Três deles já estavam no sistema penitenciário; durante operação, sargento da Polícia Militar foi baleado

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 29/05/2020
Horário 14:31
Polícia Civil - Operação Páris foi deflagrada na manhã de hoje Foto: Polícia Civil - Operação Páris foi deflagrada na manhã de hoje

A Polícia Civil de Teodoro Sampaio desencadeou hoje a operação “Páris”, que cumpriu mandados de prisão temporária e de busca e apreensão domiciliar no combate ao tráfico de drogas. A ação contou com apoio operacional da Polícia Militar e prendeu nove pessoas.

Do total, sete foram detidas por tráfico de drogas, sendo que três delas já estavam no sistema prisional de Caiuá e Porecatu (PR). Houve ainda uma prisão por tráfico de drogas e flagrante de tentativa de homicídio, e outra por posse irregular de arma de fogo de uso restrito.

As diligências contaram com o apoio do Canil do 8º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia).

De acordo com o delegado João Paulo Tardin, a investigação descobriu um esquema de distribuição e venda de drogas, organizado em células criminosas “bem definidas”, compostas, em maioria, por indivíduos que possuem relação anterior com o tráfico. Isso indicou a coexistência de dois grupos distintos atuantes no comércio local, com reflexos diretos no norte do Paraná.

DIVISÃO

EM GRUPOS

O primeiro grupo contava com a participação de um investigado hierarquicamente superior aos demais membros. O acusado, preso em março por tráfico, mantinha local de venda de drogas ocupado pelos comparsas, fornecendo recursos mínimos - higiene e alimentação. Ainda, repassava em contraprestação certa porcentagem do valor auferido do comércio.

A mãe do investigado também foi presa, uma vez que, segundo a polícia, passou a prestar auxílio material para manutenção do tráfico de drogas, transportando entorpecentes e mantendo diretamente parte das drogas em seu imóvel residencial.

Já o segundo núcleo era comandado por um detento, a partir de ligações telefônicas do interior da Cadeia Pública de Porecatu. Ele tinha comparsas em Teodoro que auxiliavam diretamente na logística, armazenamento dos entorpecentes e venda direta de pequenas porções aos usuários finais, a preços mínimos.

Um traficante membro deste núcleo também foi preso em março. Segundo Tardin, aparentemente, não havia comunicação entre os dois grupos.

LABORATÓRIO

DENTRO DE CASA

Durante a operação em Teodoro Sampaio, os policiais foram ao imóvel de um denunciado que tentou impedir a entrada da Polícia Militar. Na ocasião, efetuou disparo contra os policiais – um atingiu a mão esquerda de um sargento. O acusado foi imobilizado na sequência.

Durante as buscas, a arma foi localizada, tratando-se de uma carabina de pressão, que foi apreendida, sendo localizados diversos chumbinhos para uso naquele artefato.

No interior do imóvel, os policiais localizaram um laboratório para confecção e refino de drogas sintéticas, e também apreenderam 16,5 g de “metilenodioximetanfetamina” – MDMA, e 237 unidades de NBOH, que é derivada da droga “feniletilamina”, que pesou 4,3 gramas – drogas utilizadas em festas noturnas.

O suspeito foi autuado em flagrante delito como incurso nos crimes de tráfico de drogas e tentativa de homicídio qualificado.

Também foi lavrado um termo circunstanciado por porte de drogas para uso pessoal, bem como apreendidas três munições de calibre 38, além de um simulacro de arma de fogo. Os aparelhos celulares foram apreendidos e serão submetidos a exames periciais para prosseguimento das investigações.

Houve ainda a captura de um foragido da Justiça do Paraná.

“Os trabalhos de campo, hoje realizados, constituem importante etapa no combate ao tráfico de drogas, e o cumprimento dos mandados de prisão temporária e buscas e apreensões domiciliar desarticulou a logística do respectivo comércio ilícito que extrapolava os limites deste Estado, além de possibilitar a apreensão de entorpecentes prontos para venda”, esclarece Tardin.

Publicidade
eixosp

Veja também