Weverson Nascimento: Fiéis dedicaram o dia para momentos de oração ao mártir

Foto: Weverson Nascimento: Fiéis dedicaram o dia para momentos de oração ao mártir

São Sebastião e relatos de fé

Na catedral prudentina que leva o nome do santo, os fiéis dedicaram o dia de ontem para momentos de oração, agradecimento e fé por intercessão ao mártir da igreja católica

  • 21/01/2020 05:08
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Reportagem Local

“Vós que vivestes a fé e perseverastes até o fim, pedi a Jesus por nós para que sejamos testemunhas do amor de Deus”, diz a oração do padroeiro prudentino, São Sebastião, comemorado na data de ontem. Na catedral que leva o nome do santo, na Praça Monsenhor Sarrion, os fiéis dedicaram o dia para momentos de oração, agradecimento e fé por intercessão ao mártir da igreja católica.

A devoção pelo padroeiro começou cedo na vida da aposentada, Maria das Graças de Jesus. Quando ainda criança, morava nas proximidades de uma cidade chamada, São Sebastião da Vargem Alegre (MG) e, por devoção do pai, José Marcelino Coelho, cresceu na fé. Mas, a história de amor pelo santo veio anos depois como prova, se assim podemos definir, de intercessão. Quando idoso, o pai precisou ser internado por duas vezes, uma porque caiu dentro de casa e bateu com a cabeça, e a outra por consequências de uma úlcera no estômago, e, por completa coincidência, ambas no dia 20 de janeiro, dia de São Sebastião. “O lado bom de ser neste dia, é que ele sempre clamou pela intercessão dele, mesmo na dificuldade, ele se manteve firme e perseverante na fé. E, por graças do santo, ele saiu bem e curado”.

Na data de ontem, ela acordou cedo e, como de costume, rezou e agradeceu ao mártir defensor da verdade e apaixonado por Deus. “Aqui eu sinto uma paz tremenda. Sei que ele intercede por mim e minha família desde sempre. É isso que meu pai me ensinou, mesmo na dificuldade, assim como São Sebastião, não deixar de amar a Deus”, diz.

INTERCESSÃO JUNTO AO SANTO MÁRTIR

No caso da aposentada Neide Alves da Rocha, a devoção ao Santo também se deu diante de uma dificuldade, quando ela e o esposo José Carlos, ainda moravam em Dourados (MS). Em um dia comum, conforme relatou à reportagem, sua filha Solange Novaes Rocha, ainda criança, caiu da mesa e feriu o queixo. Para completo espanto e desespero da mãe, a criança perdeu muito sangue, mas por intercessão do padroeiro, ao ouvir um testemunho do já falecido padre Vitor Coelho de Almeida, ela clamou por São Sebastião.

“Eu gritei – São Sebastião! Me socorrei – e na hora me veio no coração pegar um copo d’água e colocar no queixo dela, e quando eu tirei a mão, já não tinha mais uma gota de sangue. Depois daquele dia eu vi o quanto o Santo intercede por àqueles que o clama”. Na catedral também para agradecimento ao excelso, rezou ao lado do marido, por todas as indulgências recebidas durante o ano que se passou. “A fé me comove em todos os momentos. Ela me move chagar até Jesus e viver a minha fé em ação. Rogai por nós São Sebastião”.

SAIBA MAIS
Os registros oficiais são escassos a seu respeito, mas conforme os estudos, São Sebastião era um soldado romano que foi martirizado por professar e não renegar a fé em Cristo Jesus. De acordo com a Pastoral da Comunicação da Diocese, conforme já noticiado por este diário, seu nome foi colocado na Catedral de São Sebastião, fundada em 1925 pelo monsenhor José Maria Martinez Sarrion.