SAP lamenta morte de agente penitenciário por Covid-19

Direção da unidade diz estar cuidando dos trâmites para o sepultamento e prestando todo o apoio necessário à família de Aparecido Cabrioti

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 04/04/2020
Horário 10:09
Reprodução/Facebook - Aparecido Cabrioti estava de férias quando ficou doente Foto: Reprodução/Facebook - Aparecido Cabrioti estava de férias quando ficou doente

O agente penitenciário, Aparecido Cabrioti, 64 anos, morreu ontem em decorrência da contaminação pelo novo coronavírus, Covid-19. Em nota encaminhada à reportagem, a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) lamentou o falecimento do servidor que, há quase 15 anos, atuava na ASP Adriano Aparecido de Pieri, em Dracena. “A direção da unidade prisional está cuidando dos trâmites necessários para o sepultamento e prestando todo o apoio necessário à família”, afirma a pasta.

Aparecido Cabrioti estava de férias em Maceió (AL) quando começou a sentir os primeiros sintomas da doença. A família acredita que ele deve ter sido contaminado durante o percurso ao litoral, uma vez que esteve em Londrina (PR) e São Paulo. Conforme a Administração Penitenciária, a pasta foi informada de que o homem estava internado desde o dia 28 na santa casa de Dracena.

Diante da expansão do coronavírus no Brasil, principalmente no Estado de São Paulo, epicentro da contaminação, a secretaria afirma que segue as determinações do Centro de Contingência do coronavírus. “Salientamos que o cenário está em permanente avaliação para o direcionamento de ações visando o enfrentamento do problema”, explica. “Todas as medidas amplamente divulgadas pelo governo do Estado de São Paulo, como lavar as mãos com frequência, já foram adotadas nos presídios do estado”.

Ainda, para prevenção, a pasta lembra que foram afixados cartazes e fornecida orientação direta aos servidores e funcionários para também mantê-los a par dos sintomas e das melhores formas de prevenção.

OUTRAS AÇÕES

FORAM TOMADAS

Além disso, foi necessário adotar medidas como: suspensão de atividades coletivas, busca ativa para casos similares ao Covid-19, intensificação na limpeza das áreas, restrição de entrada de qualquer pessoa alheia ao corpo funcional, quarentena para os presos que entram no sistema prisional, monitoramento dos grupos de risco, aquisição de termômetros infra vermelho, aquisição de oxímetro digital portátil, ampliação na distribuição de produtos de higiene, álcool em gel e sabonete.

Também inclui a distribuição de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como máscaras; horários alternados no refeitório, filas com distância de 1,5 m. Em unidades com inclusão automática de estrangeiros o procedimento é entrar em contato com a Polícia Federal, para verificar se as providências preventivas foram tomadas, e observar se o preso apresenta qualquer sintoma por 14 dias.

Os servidores idosos e do grupo de risco estão sendo realocados. As portas de salas administrativas estão sendo mantidas abertas.

ELABORADO PLANO

DE CONTINGÊNCIA

A pasta esclarece ainda que foi elaborado, pela Coordenadoria de Saúde do Sistema Penitenciária, um Plano de Contingência para caso haja suspeita de contaminação com o coronavírus em alguma unidade prisional do Estado.

“Todo servidor com suspeita de diagnóstico do Covid19 está devidamente afastado sob medidas de isolamento em sua residência, conforme orientações do Comitê de Contingência do coronavírus e a secretaria acompanha seu quadro clínico, fornecendo todo o suporte necessário para sua recuperação”, explica. A Administração Penitenciária afirma que “não há nenhum preso com a doença confirmada”.

Publicidade
eixosp

Veja também