Publicidade
eixosp

Segmento de festas enfrenta cancelamentos e remarcações

Cedida - Renda de Francisca Fabiana depende 100% das festas: "Não quero nem pensar como será o mês que vem" Foto: Cedida - Renda de Francisca Fabiana depende 100% das festas: "Não quero nem pensar como será o mês que vem"

Baixa procura por datas disponíveis para a realização de eventos, cancelamentos de festas de aniversários, remarcações de casamentos e prejuízos financeiros como expectativa para os próximos meses do ano: estes são alguns dos reflexos e preocupações enfrentados pelo setor de festas na região de Presidente Prudente, e possivelmente em todo o país, por causa do Covid-19 e da recomendação – e preocupação com a saúde pública – de não estar presente em aglomerações.

O proprietário do Buffet Smar’s de Presidente Venceslau, Ismar Henrique Gagg, por exemplo, relata que já teve cancelamento e remarcação de eventos e diz que as ligações e mensagens neste sentido são cada vez mais constantes. “Eu tinha agendado um aniversário de uma pessoa idosa, no dia 28, por exemplo, e que foi cancelado. Seria a presença de um público de risco em um local aglomerado, e é preciso evitar conforme as recomendações”, comenta.

Ismar afirma que, de forma geral, os casamentos estão sendo adiados por causa da possibilidade de opções de datas, e os aniversários são inevitavelmente cancelados, pois não há como comemorar a data depois de alguns meses. Acrescenta que, por causa dessa situação, cogita a ideia de dar férias coletivas para a equipe de trabalho, para que não haja prejuízos. O mês de abril, para se ter uma ideia, tinha seis eventos e todos sofreram alterações, seja de cancelamento ou remarcação. “Em 20 anos no ramo, é a primeira vez que algo neste sentido ocorre, estamos preocupados”.

No Buffet Eduardos, em Presidente Prudente, a situação também precisou de uma atenção especial. Com cancelamentos e remarcações nos últimos dias, o analista de sistema da empresa, Anézio Souza, comenta que os casamentos são os que mais sofreram com a preocupação dos clientes junto ao Covid-19. “É uma medida em consenso, pois sabemos dos riscos que há e também contamos com o apoio dos clientes, que nos buscam para resolver da melhor maneira possível”. Medidas em relação às equipes ainda não foram estipuladas.

IMPACTO

AVASSALADOR

A decoradora de festas infantis, Francisca Fabiana dos Santos, 35 anos, é proprietária da empresa Magia Decor, e viu em poucos dias todas as festas que iriam ocorrer nos próximos meses sendo canceladas ou adiadas para 2021. “O impacto financeiro é tremendo. Para muitas decorações já tinha o material comprado, então, perdi investimentos. Não recebo mais nenhum pedido de orçamento, as pessoas não estão em clima de comemorar”, salienta.

“Dependemos, eu e meus filhos, 100% das festas, não tenho outra renda, não quero nem pensar como será o mês que vem”, comenta Fabiana, deixando clara a gravidade da situação. “É uma realidade inusitada, ninguém se preparou, por enquanto, não consigo pensar em nenhuma estratégia”, completa.

Veja também