Isadora Crivelli - Em reunião ontem, UEPP apresentou a proposta para criação de um novo ramal de bitola larga

Foto: Isadora Crivelli - Em reunião ontem, UEPP apresentou a proposta para criação de um novo ramal de bitola larga

PARAPUÃ A PRUDENTE

UEPP entrega proposta de ramal ferroviário à Rumo

  • 28/12/2019 05:12
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Reportagem Local

As ferrovias de bitola larga geralmente possuem maior capacidade no transporte de cargas e permitem velocidades maiores do que os sistemas de bitola padrão e estreita. E, foi sobre sua aplicação na região, que na manhã de ontem, representantes da UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente e Região) se reuniram com membros da concessionária Rumo, em Presidente Prudente. Entre as tratativas expostas no encontro já realizado semestralmente, a UEPP apresentou a proposta para criação de um novo ramal de bitola larga, ligando Parapuã a Prudente, numa extensão de 74 quilômetros em via paralela com a Rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), com custo aproximado de R$ 200 milhões, além de manter a obrigação de a concessionária voltar à operação do ramal de Jaú (Bauru, Marília, Tupã, Osvaldo Cruz, Parapuã e Panorama).

De acordo com o presidente da UEPP, Marcos Antônio Carvalho Lucas, após o TCU (Tribunal de Contas da União) liberar a antecipação da concessão da Rumo, a UEPP viu nisso uma oportunidade de “conseguir” um ramal ligando a cidade de Prudente a Parapuã – município mais próximo de onde o ramal Jaú passa ultimamente. “A região teria muito a crescer com esta medida, que completaria os modais já existentes [aéreo, hidroviário e rodoviário]. A instalação dessa malha vai significar uma logística muito grande para região, pois aqui temos distribuidoras de combustíveis, a Ceagesp [Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais do Estado de São Paulo] com grande demanda de carga e, em breve teremos o posto de alfândega da Receita Federal. Então, isso traria a oportunidade, por exemplo, de importar um container fechado e alfandegar ele aqui”, explica.

O custo aproximado da construção do ramal ligando Parapuã a Prudente irá girar entorno de R$ 200 milhões, segundo Marcos Lucas. No entanto, acrescenta que a Rumo está dando uma outorga de R$ 5 bilhões. Logo, um valor relativamente pequeno se comparado ao valor investido. Quanto à proposta, ele acrescenta que a União tem uma “promessa” do Ministério de Infraestrutura, de receber um posicionamento da viabilidade técnica do projeto no início de 2020, para que se insira no contrato da empresa como uma “causa obrigacional”.

Em nota, a Assessoria de Imprensa da concessionária Rumo destaca que todas as alternativas de transporte ferroviário para Presidente Prudente (Malha Sul) foram apresentadas de acordo com as distâncias de origem e destino, obedecendo aos termos indicados dentro do teto tarifário homologado pela agência. Até o momento, a empresa não recebeu nenhuma proposta comercialmente viável. “Em relação à Malha Paulista, a aprovação do TCU representou mais uma importante etapa de renovação antecipada do contrato de concessão. Agora, a ANTT [Agência Nacional de Transportes Terrestres] fará os ajustes solicitados pelo TCU para dar continuidade no processo”, pontua.

RECUPERAÇÃO DE TRECHO

DA FERROVIA SOROCABANA

O ofício entregue aos representantes da Rumo, Luiz Paulo Freiman e Bruno Madalena, solicita ainda a recuperação de um trecho da Ferrovia Sorocabana entre Regente Feijó x Presidente Prudente x Álvares Machado, para instalação de um VLT (veículo leve sobre trilhos e trem turístico). De acordo com o presidente da UEPP, a proposta poderia significar “algo muito importante para a população”, pois seria um transporte popular sobre trilhos, não sujeito a trânsito e com valores mais baixos em função do que representa hoje nas grandes cidades. No mais, explica que, futuramente, um trem turístico poderia ser implantado pela iniciativa privada para alavancar o segmento, que tem muito potencial na região.