Uso de máscaras: não é hora de pensar na estética, mas sim na saúde!

EDITORIAL -

Data 24/04/2020
Horário 04:05

Antes utilizadas apenas por profissionais da saúde ou aqueles que atuam na área da estética, as máscaras são os acessórios da vez. No início da pandemia do novo coronavírus, a indicação do Ministério da Saúde era de que apenas as pessoas com suspeita de infecção por Covid-19 - além dos já mencionados - fizessem o uso deste item de proteção, bem como cuidadores de idosos ou mulheres que estivessem amamentando. O medo do contágio, no entanto, fez com que muitas pessoas, mesmo sem sintomas, corressem atrás das máscaras, esgotando, rapidamente, os estoques do equipamento.

Depois, com o avanço da doença pelo país (até ontem já eram 3.313 mortes e 49.492 casos confirmados), as próprias autoridades de saúde passaram a mudar alguns conceitos. No início deste mês, a OMS (Organização Mundial da Saúde) chegou a atualizar o guia com recomendações sobre o uso de máscaras, ressaltando as vantagens e desvantagens, bem sobre quais modelos, quando e como usar. Conforme o documento publicado, a orientação é levar em conta o cenário em que a população vive em termos de densidade populacional, de risco de propagação rápida e de capacidade de adotar o distanciamento físico.

Sendo assim, várias cidades brasileiras passaram recentemente a recomendar o seu uso. Em Belo Horizonte (MG), por exemplo, a utilização de máscaras, nesta semana, passou a ser obrigatória, em todo o espaço público, transporte coletivo e estabelecimentos comerciais. A mesma medida foi adotada no Rio de Janeiro e passou a valer a partir de ontem.

Em São Paulo, conforme decreto publicado hoje no Diário Oficial do Estado, o governador João Doria recomenda que a população faça o uso do item de proteção facial, antes de sair às ruas.

Não estamos acostumados a sair de máscara. Mas também não estávamos acostumados a ficar em casa. Tudo é uma questão de tempo. E a questão estética não deve vir em primeiro lugar agora. O que realmente importa, neste momento, é a saúde.

A orientação é que todos usem ao sair. O ideal, no entanto, é que as pessoas se orientem com relação à forma correta de usar. Como colocar e retirar o material? Qual o melhor tipo a ser usado? Qual a durabilidade de cada uma? Como deve ser feita higienização?

Não esquecendo, claro, que além de utilizar o adereço, todos devem sempre lavar as mãos com água e sabão ou higienizar com álcool em gel, bem como evitar colocar as mãos nos olhos, nariz e boca. As outras medidas de prevenção continuam sendo tão essenciais quanto.

Veja também