Óbitos de pessoas na faixa de 50 a 59 anos aumentam 81% em Prudente

Entre públicos já vacinados contra a Covid-19, como idosos de 70 a 99 anos, total de mortes caiu em relação à média desde início da pandemia

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 21/05/2021
Horário 13:20
Foto: Arquivo
Dados são do Portal da Transparência do Registro Civil, base abastecida pelos atos dos óbitos praticados por cartórios
Dados são do Portal da Transparência do Registro Civil, base abastecida pelos atos dos óbitos praticados por cartórios

O aumento percentual de 81% no número de óbitos por Covid-19 de pessoas mais jovens, na faixa etária entre 50 e 59 anos, contabilizados pelo Cartório de Registro Civil de Presidente Prudente no mês de abril, o pior desde o início da pandemia no município, é claro em apontar que a vacinação em massa de sua população é o melhor caminho para a crise de saúde pública causada pela doença.

Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil (transparencia.registrocivil.org.br/inicio), base de dados abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do país, administrada pela Arpen-Brasil (Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais), cruzados com os dados históricos do estudo Estatísticas do Registro Civil, promovido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), com base nos dados dos próprios cartórios brasileiros.

Em Presidente Prudente, a faixa etária que registrou o maior percentual de aumento em relação à média desde o início da pandemia foi a da população entre 50 e 59 anos, crescimento de 81% no número de óbitos em abril na comparação com o período que vai de março de 2020 a março de 2021. Os números absolutos de falecimentos desta faixa etária também aumentaram em abril na comparação com março deste ano, passando de 29 em março para 33 no último mês.

A faixa etária que vai dos 40 aos 49 anos viu o aumento do número de óbitos crescer 37% em relação à média para esta faixa etária desde o início da pandemia. O crescimento também se deu nos números absolutos em relação a março, passando de 13 para 14. Outra faixa etária que registrou crescimento dos óbitos foi a de pessoas entre 60 e 69 anos, com aumento de 40% e, na comparação de números absolutos com março, passando de 26 para 51 óbitos em abril.

Nas demais faixas etárias, já vacinadas, o número de óbitos caiu em relação à média desde o início da pandemia, reduzindo 13% na faixa entre 70 e 79 anos, 51% entre 80 e 89 anos, e 86% na população entre 90 e 99 anos.

Estado de São Paulo

Em relação ao Estado de São Paulo, os números estão à frente da média do Brasil em todas as faixas etárias. Entre a população de 20 a 29 anos, o crescimento percentual paulista foi de 53%, enquanto no país foi de 38%. Na faixa que vai dos 30 aos 39, São Paulo viu os óbitos crescerem 73%, enquanto o Brasil registrou aumento de 56%. O cenário se repetiu nas faixas de 40 a 49 anos, 66% x 57%, 50 a 59 anos, 56% x 54%, e 60 a 69 anos, 24% a 22%.

Sobre a Arpen

Fundada em fevereiro de 1994, a Arpen-SP (Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo) representa os 836 cartórios de registro civil, que atendem a população em todos os 645 municípios do Estado, além de estarem presentes em outros 169 distritos e subdistritos, realizando os principais atos da vida civil de uma pessoa: o registro de nascimento, casamento e óbito. 

Veja também