“Estamos entre os 3 maiores fabricantes de drones do Brasil”

Alexandre Mainardi, empresário

PRUDENTE - GABRIEL BUOSI

Data 23/11/2019
Horário 08:16
Arquivo Pessoal - Alexandre afirma que tem planos de expandir internacionalmente os negócios
Arquivo Pessoal - Alexandre afirma que tem planos de expandir internacionalmente os negócios

A cidade de Presidente Prudente cresce e se destaca cada vez mais na área da tecnologia. Junto com essa ascensão está a Nuvem UAV Indústria de Aeronaves, que recentemente vendeu um drone, o Batmap, para o Exército Brasileiro em um trabalho que tem alavancado a economia local e levado o nome da cidade para todo o Brasil. Mesmo sem ser divulgado o local em que o equipamento será usado, a aeronave será utilizada com a intenção de enxergar mais longe e conseguir agir de forma mais rápida. Na entrevista abaixo, o empresário e responsável pela empresa, Alexandre Mainardi, 31 anos, comenta sobre como surgiu o interesse pela área da tecnologia, como foi elaborar o dispositivo e quais os próximos passos do empreendimento, que inclui a pretensão de expandir-se internacionalmente.

- Como e quando surgiu o seu interesse pela área da tecnologia?

Desde criança eu sempre me interessei por tecnologia. Eu desmontava brinquedos, montava coisas e, nessa fase, encontrei nas coisas do meu pai livros de um curso de eletrônica que ele tinha feito. Esse livro tinha um kit de eletrônica e foi quando comecei a ler e usar esse material. Por isso, foi assim que montei meus primeiros componentes e que me despertaram o interesse pela tecnologia.

- Como está este mercado na região de Presidente Prudente?

Nos últimos cinco anos, o mercado da tecnologia vem crescendo na região, assim como o incentivo a essa área. Hoje, as pessoas realizam cursos e faculdades e não pensam apenas em ir embora, tem muita gente abrindo o próprio negócio ou modernizando o setor que já trabalha. Não podemos esquecer que a tecnologia está em tudo, como no carro, no celular, e já chegou até mesmo no agronegócio. Além disso, a tecnologia veio para realizar tarefas perigosas e repetitivas. Duas iniciativas, também, incentivam o mercado tecnológico aqui na região, que são a Fundação Inova Prudente e a Intepp (Incubadora Tecnológica de Presidente Prudente). Juntas, elas incentivam quem deseja empreender nessa área.

- Em relação aos drones especificamente, como começou a produzi-los?

Depois que eu aprendi a montar componentes eletrônicos, percebi que era necessário aprender a programar. Foi aí que comecei a ler muito sobre o assunto e logo comecei a tentar. Minha primeira programação foi um sistema de gestão de imobiliária, que vendi para uma imobiliária de Rio Claro, no interior de São Paulo. Em 2006 mais ou menos, surgiu a placa de Arduino, que permite realizar a programação em componentes eletrônicos. Como eu sempre gostei de coisas que voam, comecei a ver vídeos na internet sobre os primeiros drones e foi assim que surgiu a ideia de programar um deles. Nessa época ainda não se comercializava os dispositivos como hoje, então estudei tudo que encontrava sobre o assunto. Um ano depois desmontei um videogame, peguei um sensor que tinha dentro, juntei com a placa de programação e os motores de um aeromodelo. Foi assim que eu produzi meu primeiro drone. Já em 2011, participei de um fórum on-line sobre drones e aí nós desenvolvemos uma placa de piloto automático para drone, substituindo a gambiarra que eu fazia com o sensor de videogame.

- E como as coisas foram surgindo após essa experiência?

Nesse início, os drones eram apenas para hobby, então, nós fabricamos umas 50 placas para vender. Aí, depois disso, desenhamos e projetamos dois dispositivos profissionais, onde nós mesmos realizávamos o trabalho de inspeção ambiental. A ideia era levantar dinheiro para fabricá-los profissionalmente. Isso foi possível em 2012, nesse ano nós fabricamos 10 drones. Já em 2013 me convidaram para dar uma palestra na FCT/Unesp [Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista], em Prudente, quando um professor me apresentou ao empresário Roberto Ruy - empresário de tecnologia para mapeamento de aviões tripulados, que realizava mapeamento e queria um drone para esse fim. A partir disso, eu e ele começamos a fabricar os dispositivos exclusivamente para mapeamento.

- Foi neste mesmo momento que surgiu a Nuvem UAV Indústria de Aeronaves? Como definiria a empresa? Qual o porte?

A Nuvem UAV surgiu em 2011, quando, junto com o pessoal do Fórum, desenvolvi a placa para drones. Hoje nós estamos entre as três maiores empresas de fabricação de drones do país. Temos clientes em praticamente todos os Estados e nos mais diversos segmentos, desde o poder público, como exército, até donos de lavouras. Hoje, a empresa trabalha com uma gestão otimizada, isso quer dizer que com poucos colaboradores conseguimos fabricar e atender o país todo.

- Além de drones, fabrica algum tipo de produto?

Atualmente estamos trabalhando em outros tipos de drones, como terrestres e aquáticos. A expectativa é lançá-los já em 2020.

- Quais os planos futuros para a empresa?

A ideia é expandir internacionalmente a nossa marca, mas mantendo o desenvolvimento no Brasil e a produção em larga escala na China.

SERVIÇO

A Nuvem UAV Indústria de Aeronaves, de Presidente Prudente, fica na Avenida da Saudade, 535 - sala 15. O telefone para contato é o (11) 3280-8268. Já o e-mail de contato é o: nuvem@nuvemuav.com

PERFIL

Nome: Alexandre Mainardi

Natural de: Rio Claro (SP)

Idade: 31 anos

Atividade profissional: empresário

Contato: alexandre@nuvemuav.com

Veja também