“Há mais 10 leitos previstos ao HR”, afirma secretário de Desenvolvimento Regional

PRUDENTE - GABRIEL BUOSI

Data 06/02/2021
Horário 13:27
Foto: Gabriel Buosi 
Marco Vinholi: "Hoje temos a região com índices confortáveis na ocupação de leitos de UTI"
Marco Vinholi: "Hoje temos a região com índices confortáveis na ocupação de leitos de UTI"

 Além de falar sobre o programa Pontal 30 com a imprensa local, o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, respondeu com exclusividade a algumas perguntas da reportagem sobre a situação epidemiológica do oeste paulista. Ele afirmou que há mais 10 leitos previstos para o HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo de Presidente Prudente, que vão chegar ao longo deste mês. Confira abaixo: 

Como o senhor avalia a situação epidemiológica regional, agora na fase amarela?
A pandemia teve uma evolução na segunda onda diferente da primeira. Na segunda onda, ela foi muito mais intensa no interior e teve impacto menor na capital. Presidente Prudente foi a primeira região do Estado a entrar na fase vermelha, nesse sentido, significando essa segunda onda crescente. Sabemos como foi difícil colocar novos leitos na região, mas avançamos com 20 novos leitos, que possibilitaram ter uma ocupação de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) menor. Hoje temos a região com índices confortáveis na ocupação de leitos de UTI, o que possibilitou a vinda para a fase amarela. Na evolução da pandemia estamos com 4,5 óbitos por mil habitantes, sendo que o limite é oito. Os índices são positivos, mas seguem os cuidados para podermos continuar com a melhora nos indicadores. Não teremos o carnaval no Estado, e recomendamos que as prefeituras não façam o ponto facultativo. Temos uma vacina crescente e impactando cada vez mais parcela da sociedade. O clima é de otimismo. 

Como tem sido o diálogo com os prefeitos da região, no sentido do Plano São Paulo?
Todos os gestores têm responsabilidade sobre o cuidado com a pandemia, assim como a sociedade. O governo do Estado apresenta diretrizes de ordem sanitária, e o regramento do STF (Supremo Tribunal Federal) diz que a competência do Estado é concorrente à do governo federal, podendo colocar uma medida sanitária, e o município tem uma competência complementar. Então, dentro disso, a todo o momento dialogamos com os prefeitos para que eles possam seguir essas regras que são tomadas com base em decisões científicas. Dentro disso, estamos otimistas com esse período de relação com as prefeituras, e conseguimos no mês de janeiro sucesso na implementação das medidas. 

Alguma novidade para a região de Prudente que o senhor pode adiantar em relação à pandemia?
Temos mais 10 leitos previstos para o HR (Hospital Regional), que vão chegar ao longo desse mês, além disso, outros municípios da região buscam ajuda para leitos de enfermaria, como Dracena e Rancharia, e que vamos apoiar. É importante registrar que temos quantidade de leitos de UTI confortáveis, mas seguiremos vigilantes. Sempre que precisar de mais leitos, o Estado não deixará faltar. 

Veja também