2020

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista a favor da caminhada e da cãominhada

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 05/11/2020
Horário 05:34

Alguém já disse que o ano de 2020 é o ano que não deveria existir, mas fazer o quê?  O assombroso ano Vinte-Vinte faz parte do calendário. Ainda bem que 2020 está quase no fim. Faltam menos de dois meses para acabar. Vinte-Vinte é um ano trágico em quase tudo, a começar pela saúde e pela política.
Um vírus vindo da China botou a humanidade de joelhos, deixando milhares de mortos mundo afora. É o vírus chinês, como gosta de afirmar o Trump. Só que ele nunca mencionou o vírus americano, aquele da gripe espanhola, que matou ao menos 50 milhões de pessoas, sendo 35 mil no Brasil. 
O vírus americano, disseminado na Europa por soldados americanos que foram lutar na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), por pouco não superou o número de mortes da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando morreram pelo menos 55 milhões de pessoas. Algumas fontes citam números mais elevados do que 55 milhões.
Vacinas estão sendo testadas. São dezenas de imunizantes e tomara que muitos sejam eficazes e nos livrem do novo coronavírus, um inimigo poderoso e ainda por cima invisível. No começo da pandemia, a Europa adotou medidas severas e, com exceção do Reino Unido (não tão unido assim), obteve êxito no combate à pandemia. Com o tempo, a Europa relaxou, achou que a situação estava sob controle e não estava. O continente está às voltas com a segunda onda.
Por falar em onda, há uma onda sinistra que assola a política. De repente, seres estranhos saíram de seus buracos, foram eleitos pelo voto popular, aqui e lá fora, e ditam as regras. Ai de quem pensa diferente deles. São execrados nas redes sociais por meio de notícias falsas, as tais fake news.
Enfim, surgiram presifakes - e não presidentes - e prefakes, os prefeitos de araque. Uma onda obscurantista envolve o mundo. Dizem que caminhamos a passos largos para o precipício. Pandemia, politicagem, que ameaça a democracia, e economia aos trancos e barrancos. Este é o ano Vinte-Vinte e valha-nos Deus, Nossa Senhora. Por favor, chamem os Anjos do Senhor.

DROPS

Direito de ir e vir desde que se pague pedágio.

Em terra de cego quem tem miopia é rei.

Ame o próximo e também o distante.

Estamos todos na mesma balsa? Carece conferir.
 

Veja também