2022: ano de Ouro

OPINIÃO - Ana Cristina de Oliveira Lima

Data 06/01/2022
Horário 05:00

Enfim, chegou 2022! Um ano especial, o ano dourado! Digo isso porque iniciamos a contagem regressiva para o Jubileu de Ouro da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), que será no dia 3 de outubro. E este momento me trouxe algumas reflexões... Quem diria que ficaríamos quase dois anos usando máscaras e evitando os encontros com amigos e familiares?! 
Diante de tudo que vivemos desde março de 2020, este ano passa a ter um significado maior. O mundo presenciou o valor da educação no enfrentamento à Covid-19, por meio de pesquisadores que em pouco tempo desenvolveram as tão esperadas vacinas. E assim continuamos reforçando o poder de transformação que o conhecimento proporciona em nossas vidas, em todos os sentidos. Por falar nisso, muito me orgulha a trajetória da Unoeste, que sempre priorizou ensino, pesquisa e extensão de qualidade, e chega aos 50 anos como a segunda melhor universidade particular do Estado de São Paulo.
Por outro lado, nessa reflexão também me veio o significado da educação na vida das pessoas. Para se ter uma ideia, já formamos mais de 110 mil profissionais que estão pelo Brasil e pelo mundo. E tenho imensa gratidão pela confiança que as famílias têm na universidade para a formação de seus filhos. Muitas gerações se graduaram e pós-graduaram aqui. Pessoas que tiveram suas vidas transformadas por meio do conhecimento!  São milhares de histórias que têm a marca de uma universidade de raiz prudentina.
Por sinal, de Presidente Prudente para o país afora. Hoje temos nossos campi em Jaú e Guarujá, mas também estamos em mais de 100 cidades brasileiras com a EAD, além do primeiro polo internacional no Japão. 
Falar de Presidente Prudente sem falar da Unoeste é quase que impossível. Posso dizer que vi a cidade se desenvolver com a chegada da universidade. A princípio com os cursos de licenciatura e depois com o primeiro na área da saúde, o de Odontologia. Inclusive me formei em uma das primeiras turmas de Odonto! 
Antes da década de 1970, para fazer um curso da saúde ou se formar professor, era preciso ir para outras regiões. A Unoeste mudou essa realidade e transformou Prudente em uma cidade universitária. Hoje são centenas de graduações e pós-graduações, bem como mestrados e doutorados. 
A universidade certamente foi um dos maiores sonhos dos meus pais, os eternos professores Agripino (em memória) e Dona Ana. Vivemos este sonho com eles e, hoje, junto de nossos filhos e de todos os funcionários damos continuidade com muito amor. Feliz 2022! O ano do Jubileu de Ouro!       

Veja também