5 tendências de Nutrição para 2022

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Toda pessoa bem informada sabe que higiene e alimentação são as bases de nossa saúde. Em seguida vem o estilo de vida ativo, prática de exercício físico e outros hábitos saudáveis. Mas como saber quais alimentos devem estar em nosso prato e seus benefícios? Nessa era da informação, talvez apenas 10% seja confiável; o restante é “lixo eletrônico”. A saúde depende da combinação de bons alimentos.   

 

Proteínas e vitaminas

            Nosso sistema imune deve continuar funcionando em 100% e nos protegendo da COVID-19 e outras infecções. Para isso, esqueça os “shots” e doses cavalares de vitamina C. Consuma diariamente proteínas de boa qualidade, de fontes animais (magras) e leguminosas (feijão, soja, lentilha). Ambos são também fontes de minerais e vitaminas. Complete suas necessidades com frutas cítricas e outros vegetais.

 

Alimentos funcionais

            Alimentos contendo componentes antioxidantes e anti-inflamatórios devem receber atenção especial. Vegetais alaranjados e amarelos (carotenóides), vermelhos e roxos (licopeno e flavonóides), brancos e verdes (glicosinolatos e outros) devem estar no seu prato diariamente. Frutas variadas são sobremesas obrigatórias. Sementes, oleaginosas e peixes fornecem ômega-3, que é outro componente funcional. O número de doenças que esses componentes podem prevenir passa de duas dezenas.

 

Prebióticos e probióticos

            Cuide da saúde intestinal, pois está relacionada à inflamação sistêmica crônica e ao risco de doenças crônicas. A microbiota (quadrilhões de bactérias) intestinal influencia o sistema imune, nervoso, pâncreas, fígado, músculos etc. Para manter a biose (equilíbrio) é necessário o consumo diário de vegetais contendo fibras prebióticas (“alimentos das bactérias”: soja, feijão, cebola, alho, tomate, cereais integrais, cevada, aveia, cascas de frutas, chicória, aspargos, alho-poró) e probióticos como iogurte natural, Kefir e leites fermentados.

 

Carboidratos - CHO

            Um prato de arroz e feijão, uma massa com molho de tomate caseiro, uma porção de batata ou mandioca e até um pãozinho integral. Tudo isso é fonte de amido e deve estar na sua dieta em quantidades ideais, pois 60% das Kcal diárias devem ser dos CHO. Artigo da revista The Lancet Public Health de 2018 mostra que o risco de morte por causas diversas aumenta em até 60% entre os consumidores de dieta low carb (CHO fornecem 20% das Kcal diárias).

 

Restrição moderada

            A pandemia fez aumentar ainda mais a proporção de adultos com sobrepeso e muitos procurarão dietas para emagrecimento. As dietas severas continuarão eficientes enquanto a pessoa “aguentar”, pois não são sustentáveis em médio prazo. Dietas com restrição leve e moderada (-200 a -500 Kcal/dia) com reeducação alimentar serão a redenção definitiva das pessoas inteligentes que procurarem auxílio de um bom profissional de nutrição. Valorize sua dieta!  

 

Alimentos contendo componentes antioxidantes e anti-inflamatórios devem receber atenção especial.

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja também