A tecnologia irá substituir o humano!

Luis Isique

COLUNA - Luis Isique

Data 07/11/2020
Horário 06:34

Você concorda com a frase?
Quem escreveu essa frase? Na verdade ninguém precisa escrever, vamos aos fatos:
Supermercado substituindo mão de obra por caixas semiautomáticos, com um humano apenas verificando quatro filas diferentes, vendo se alguém está com dificuldade.
Vários supermercados espalhados pelo mundo já possuem sistemas automáticos de cobrança por equipamentos, que registram a imagem da pessoa retirando algum item da prateleira. Ao sair pela catraca ou porta, o item já é debitado no cartão de crédito da pessoa.
Calma! Você verá o que a robotização irá fazer! Dezenas de pessoas trabalhando nas cabines dos pedágios, hoje o sistema automático de cobrança realizado através de um chip colocado no seu para-brisa faz o serviço.
Centenas de pessoas em guichês de banco, fazendo pagamentos, recebendo dinheiro para depósito, dentre outras atividades, já foram substituídos pelo caixa de autoatendimento ou pelo aplicativo do home-banking e todo mundo acha muito prático.
Todas as profissões que repetem parte dos seus processos podem ser substituídas por uma tecnologia, ou seja, se você tem uma profissão que depende de repetição para continuar a produção de um serviço, pode ter certeza ela irá acabar rapidamente.
Os braços robóticos já estão ocupando parte de fábricas do interior de São Paulo, Paraná e Santa Catarina, fazendo serviços braçais onde tem um humano, apertando uma peça para outro humano continuar o processo, agora é questão de tempo da robotização tirar o emprego de uma grande fatia da população.
Bom, talvez você deve estar preocupado ou pensando que isso não irá acontecer com você, mas, desculpe a sinceridade, em todas as profissões se ela não desaparecer será reduzido e muito o número de profissionais. Exemplo prático é do Direito, a inteligência artificial da IBM chamada de Watson já consegue analisar processos e comparar com os resultados de audiências concluídas, permitindo que o advogado tenha formas de construir sua defesa, baseando-se em outros processos iguais. Nesse caso, o profissional não deixará de existir, mas a quantidade de advogados analisando centenas de casos não será mais necessária.
A profissão de desenvolvedor também corre riscos, aplicações gratuitas que o analista apenas descreve o sistema que precisa, e a própria aplicação desenvolve as telas do sistema descrito, impressionante! Nesse caso, também sobreviverão apenas os desenvolvedores especialistas na sua área. 
Essas e outras dicas você encontra no lá no meu Instagram, YouTube e Linkedin. Te vejo por lá.
 

Veja também