Acampamento proporciona momentos de oração e interatividade dos participantes

Enquanto muitas pessoas buscam diversão nos dias de folia, campistas se retiram para vivência religiosa coletiva no bairro Timburi

PRUDENTE - OSLAINE SILVA

Data 01/03/2017
Horário 07:57
Momentos de alegria, graças e bênçãos do Senhor Jesus Cristo. Esta era a experiência vivida por dezenas de campistas que participaram, neste feriado prolongado, do 3° Acampa Juvenil Sênior, com o tema "Um encontro de comunidades para as comunidades", da Paróquia Nossa Senhora Desatadora dos Nós e São José de Anchieta, de Presidente Prudente. O evento ocorreu na capela Nossa Senhora das Graças do bairro Timburi. Na manhã de ontem, os participantes que escolheram esta época do ano para espiritualização, ao invés de folia, vivenciaram as últimas atividades do quarto dia do acampamento que iniciou sábado. À noite participaram da missa de retorno, recebidos por amigos, familiares e pelos padres Umberto Laércio Bastos de Souza e Ivair Gentil Zancheta, responsáveis pelas paróquias.



Jornal O Imparcial Programação do acampamento que começou no sábado favorece comunhão dos participantes

Diretor do acampamento e há sete anos envolvido no evento religioso, Tiago de Lima Linares, mais conhecido como Tiaguinho, 32 anos, revela em seu olhar e palavras a gratificação de estar neste meio. Para o rapaz, que pertence ao Santuário de Santo Expedito, os acampamentos são suas maiores conquistas, "amor maior e algo que não pode morrer, jamais".

Tiaguinho comenta que muitas pessoas têm uma impressão equivocada do que significa o acampamento. Explica que é algo que vem da época de Cristo, quando Ele se reunia em acampamentos com seus seguidores e ali oravam, invocavam o Espírito Santo, etc. "Então, quando chegam ao local do evento, não querem mais sair porque aqui, na simplicidade desse lugar, em barracas, sentem a verdadeira essência de Jesus. Ele não tem luxo. Ele é puro e simples. Aqui também é onde se encontra pela primeira vez com a nossa Virgem Maria, Nossa Senhora e mãe!", exclama o diretor da ação religiosa.

 

Campistas

Com a voz embargada, uma das campistas, Janaina de Oliveira, 18 anos, contou que este é seu segundo acampamento. Mas, garante que nunca sentira nada igual, como neste encontro. "Recebi o convite do meu tio. E apesar de estar precisando muito de orações, não queria vir de forma alguma. Como Deus é maravilhoso, um dia antes resolvi participar. Estou extasiada com a experiência única que vivi nesse lugar!", frisa a jovem.

O funcionário público Ademir Aparecido de Souza, 39 anos, também escolheu "um carnaval com Cristo". Ele destaca que quando mais jovem gostava muito de baladas e adorava dançar em clubes, "sentindo prazer nas coisas do mundo". Porém, mesmo nessa época, por conta da mãe sempre levá-lo, juntamente com os irmãos, à igreja, os ensinamentos do melhor da vida ficou no seu coração.

"Eu já sentia a forte presença de Deus. Nunca me envolvi em coisas erradas, drogas... E procurava demonstrar o Senhor em minhas ações, dando carinho às pessoas, tratando-as com respeito. Mas, foi depois de sofrer um AVC que resolvi de vez ‘dançar e cantar’ apenas para Jesus. Acredito que ao passar por esta experiência de quase morte, Cristo me dizia que eu precisava morrer para voltar para Ele. Sou testemunha viva do amor de Jesus", pontua Ademir.

 

Trabalhando para Jesus

Toda a equipe do acampamento, da recreação aos pregadores, é formada por ex-campistas que trabalham para evangelizar novas "ovelhas". Responsável pela alimentação de tanta gente, um dos momentos mais esperados após várias atividades ao longo do dia, Maria do Carmo Alves, carinhosamente chamada de dona Carminha, 57 anos, mesmo com o pé imobilizado, fez questão de fazer parte de mais esse encontro. "Isso aqui é uma bênção. O que mais me surpreende é ver a mudança das pessoas. Procuramos fazer o melhor para cada um deles. Afinal, o amor de Deus tudo vence", salienta a cozinheira.

Todo acampamento é marcado pela energia das tribos – grupos que são comandadas por líderes. Geralmente elas são denominadas Rubem, Judá, Manasses, Efraim, Levi e Benjamim. O eletricista de automóveis, Silvano Mendes de Souza, e Maria Aparecida Ferreira, 53 anos, ambos líderes da última equipe, falam do prazer desse envolvimento.

"Cada acampamento é uma surpresa. E é isso que nos motiva. Ver que algo foi mudado na vida dessas pessoas desde que chegaram, que aconteceu uma transformação, é uma experiência única. Aqui revivemos a fé. Sentimos Deus presente bem diante de nossos olhos. É algo fantástico", denota Silvano.

 

Local

O local de grandes experiências religiosas nestes dias de carnaval é o mesmo que foi o centro de várias discussões e matérias neste diário recentemente. Isso porque estuda-se a implantação de um aterro sanitário no Timburi, que poderá ter capacidade para receber mil toneladas de lixo por dia. Os moradores do local são contra a iniciativa, no entanto, a Destra Ambiental, empresa de consultoria que desenvolveu o EIA/Rima (Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental), pontua que o empreendimento não irá poluir corpos d’água e nem degradar o meio ambiente local.

O assunto volta à pauta, durante uma audiência pública agendada para o dia 7 de março.

 

 

Veja também