Além da Covid-19, médico alerta para as doenças sazonais

Guilherme Lorentz, pneumologista

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 09/06/2020
Horário 10:08
Cedida - Guilherme Lorentz: “É sempre importante procurar um especialista” Foto: Cedida - Guilherme Lorentz: “É sempre importante procurar um especialista”

Por conta da baixa umidade do ar e das temperaturas mais amenas, o outono e a proximidade do inverno favorecem o aparecimento de doenças respiratórias ligadas ao clima. E por conta da pandemia da Covid-19, que o mundo enfrenta atualmente, estas doenças sazonais podem acabar sendo associadas erroneamente ao novo coronavírus. O médico pneumologista que dentre seus locais de atendimento atua no HR (Hospital Regional) Dr. Domingos Leonardo Cerávolo, de Presidente Prudente, Guilherme Lorentz, explana sobre o assunto.

Quais são as enfermidades mais incidentes neste período?
As doenças respiratórias de maneira geral têm sua incidência aumentada nos meses em que o clima está mais frio e seco. Pode-se citar tanto doenças alérgicas, como asma e rinite, como também as infecciosas: gripes, resfriados e pneumonias. Além disso, há o agravo de pacientes portadores de enfisema.

Existe um público mais suscetível a esses problemas?
Sim, os tabagistas, pacientes em extremos de idade e as pessoas que sofrem de doenças crônicas de maneira geral - principalmente as doenças respiratórias, como por exemplo, asma e enfisema - são mais suscetíveis às infeções respiratórias.

Como se manifestam e como diferenciar estes sintomas daqueles relacionados à Covid-19?
Normalmente se manifestam com piora dos sintomas nasais nos pacientes que têm rinite, asma e enfisema, como acentuação da tosse, falta de ar, espirros e chiado no peito. Mas, muitas vezes, pode ser difícil diferenciar uma crise das doenças previamente apresentadas, com aquela causada por infecção pelo coronavírus, lembrando que essa população é grupo de risco. A presença de febre e falta de ar fora dos padrões previamente apresentados pelo paciente e queda do estado geral pronunciados devem ser sinais de alerta.

Essas pessoas devem receber acompanhamento médico?
Sim, os pacientes que têm doenças como as citadas acima devem realizar acompanhamento com seu pneumologista, a fim de estarem bem orientados quanto aos sinais de alerta. Cuidados na rotina diária quanto aos fatores desencadeantes das crises e manterem o tratamento medicamentoso adequado são essenciais.

Quais são as melhores formas de prevenir, no caso de crianças e adultos?
Manter carteira de vacinação em dia por serem grupos de risco, pois devem tomar a vacina de gripe e a de prevenção de pneumonia anualmente. Elas auxiliam a evitar fatores desencadeantes das crises, nos casos de doenças alérgicas como rinite e asma. E, na condição atual, manter-se em casa e, caso haja necessidade de sair, usar máscara, manter distanciamento seguro de outras pessoas e lavar bem e frequentemente as mãos.

Quais orientações podem ser postas em prática no dia a dia para promover a qualidade de vida nessa época?
Em tempo com redução da umidade do ar, beber mais água ajuda a manter a ideal hidratação das vias aéreas. Em situações com presença de redução mais acentuada da umidade relativa do ar, o uso de bacias, toalhas molhadas ou umidificadores de ambiente podem ajudar. Em relação às infeções virais, manter os ambientes mais ventilados, evitar grandes aglomerações, usar máscara e lavar bem as mãos já são as medidas eficazes.

 

 

 

 

Veja também