Alunos de Prudente escrevem cartas para encorajar profissionais essenciais durante pandemia

Policiais, coletores de lixo e funcionários de supermercado foram lembrados pelos estudantes da Escola Champagnat, que assinaram mensagens de próprio punho

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 28/09/2020
Horário 15:02
Cedida - Coletores encarregados pela limpeza pública urbana receberam cartas dos alunos Cedida - Coletores encarregados pela limpeza pública urbana receberam cartas dos alunos Imagem: Cedida - Coletores encarregados pela limpeza pública urbana receberam cartas dos alunos

Alunos da Escola Champagnat de Presidente Prudente estão escrevendo cartas solidárias para incentivar pessoas que estão atuando em posições essenciais na cidade, como policiais, coletores encarregados pela limpeza pública urbana e funcionários de um supermercado local.

As cartas, escritas de próprio punho pelos estudantes, levam palavras de encorajamento, solidariedade, amor, fé e incentivo para que os profissionais e os pacientes sintam-se acolhidos em um momento de dedicação ao trabalho e de cuidados com a comunidade. 

De acordo com a professora Maria Helena de Castro Santos, uma das responsáveis pelo projeto, os profissionais da área da saúde, em especial os médicos, são sempre os mais lembrados por atuarem na chamada linha de frente.

"Por isso, resolvemos dedicar nossas cartas para outras áreas sem as quais o isolamento social não teria sido possível, afinal, ainda que confinados, precisamos de limpeza, segurança e abastecimento de nossas casas", explica a coordenadora pedagógica Antonielle Silva de Magalhães Correa, que divide a responsabilidade da atividade com Maria Helena. 

Assim, ficou determinado que os alunos do 3º ano do ensino fundamental escrevessem aos coletores encarregados pela limpeza pública urbana (Prudenco) e os alunos do 4º ano ficaram atribuídos de escrever aos policiais civis e militares. Já os alunos do 5º ano endereçaram suas cartas aos funcionários de um supermercado local. 

Segundo a professora Maria Helena, comunicando-se por meio da escrita de cartas, os alunos se tornam sujeitos da construção do seu conhecimento, sendo agentes de transformação social na comunidade. "Além disso, trabalhar nas crianças o sentimento de empatia, solidariedade, respeito e gratidão faz com que esse projeto tome uma proporção muito maior", afirma.

Veja também