Anastácio atende 56% da demanda do ensino infantil

Representantes municipais se reuniram com o coordenador regional do Geduc, a fim de discutir melhorias à educação

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 31/03/2017
Horário 10:38
 

A intenção era acompanhar a implantação do Plano Municipal de Educação, mas o encontro realizado entre os representantes da Secretaria Municipal de Educação e Conselho Municipal de Educação de Santo Anastácio, juntamente com o promotor de Justiça e coordenador regional do Geduc (Grupo de Atuação Especial de Educação), Luiz Antonio Miguel Ferreira, se estendeu para discutir a educação infantil do município. Em pauta, foi colocada a situação da cidade, que atende 56% da demanda de vagas em creche, totalizando um déficit de 130 crianças na fila de espera. Ou seja, 44% dos pequenos não são atendidos. No encontro, promovido no Ministério Público de Presidente Prudente, foram levantadas alternativas que possam otimizar os dados locais.

Na educação, os representantes apresentaram um panorama geral da situação na cidade em relação às creches. De acordo com a secretária municipal de Educação, Lair do Carmo Nascimento Bressa, o saldo negativo entre o número de vagas disponíveis e solicitadas tem sido um desafio. "Temos a consciência da necessidade e obrigação em atender essa demanda. Para isso, estamos buscando alternativas e possibilidades para estar atendendo o maior número de crianças possível", afirma.

Umas dessas saídas, conforme a secretária, seria a construção de um CEI (Centro Educacional Infantil), o que já está sendo conversado com o governo do Estado. "Desde o início de fevereiro, essa solicitação está em trâmite. Porém, a gente depende de verbas. Com a instituição concluída e implantada na cidade, conseguiríamos atender, aproximadamente, mais 100 crianças que estão nessa lista de espera", completa.

 

Região

Uma lista que não se limita a Santo Anastácio. Luiz Antonio, do Geduc, garante que, de modo geral, a região enfrenta um "déficit grande". "A maioria das cidades que possui esse problema com vagas têm construções de creches promovidas pelo governo estadual, que estão paralisadas. Se conseguir terminar, já resolve grande parte. Isso já consta em um inquérito que busca viabilizar a meta um do Plano Municipal de Educação, que é a implementação de instituições que atendam o ensino infantil", explica.

Ainda de acordo com o promotor, algumas cidades da região já conseguiram atender a demanda, como, por exemplo, Alfredo Marcondes, Pirapozinho e Santo Expedito. Para que o município em questão se iguale, uma reunião está agendada, na segunda-feira, com a Prefeitura anastaciana, para que outras saídas possam ser apresentadas e discutidas.

 

Veja também