Asfalto cede em Anhumas e deixa caminhão de lixo “atolado”

Segundo relatos de moradores ouvidos pela reportagem, problema pode ter sido causado por supostas “irregularidades” em uma obra feita há mais ou menos cinco meses por parte da Prefeitura

REGIÃO - GABRIEL BUOSI

Data 20/10/2020
Horário 06:12
Cedida - Caminhão ficou atolado na rua durante a tarde de ontem
Cedida - Caminhão ficou atolado na rua durante a tarde de ontem

Parte do asfalto da Rua Segundo Manoel Gardin, no Jardim Esplanada, da cidade de Anhumas, cedeu no início da tarde de ontem, enquanto passava um caminhão da coleta de lixo do município. Segundo relato de moradores ouvidos pela reportagem, o problema pode ter sido causado por supostas “irregularidades” em uma obra feita há mais ou menos cinco meses por parte da Prefeitura. 
Um dos moradores, que preferiu não se identificar, comentou que o incidente ocorreu por volta do meio-dia de ontem e afirmou que, “sem dúvidas, o problema foi causado pelo trabalho feito pela Prefeitura, que não socou direito a terra por baixo do asfalto”. “Antes dessa obra, a tubulação de esgoto estava com problemas e foi feita uma nova tubulação. O problema agora, no entanto, foi a falta de zelo com o lugar”, afirmou. 
No contato com a reportagem no meio da tarde de ontem, o homem afirmou que o caminhão ainda estava “ilhado” no local e afirmou que equipes da Prefeitura tentavam resolver a situação, que poderia piorar. “Estamos com medo de o caminhão tombar em uma das residências, pois ele está a menos de dois metros do portão”, afirmou apreensivo. 
A também moradora da rua em questão, Rosemary Tavares, do lar, 44 anos, afirmou ver como “descaso” com a população o incidente, já que, para ela, esta é uma rua movimentada e que traz agora sensação de insegurança para quem passa por lá. “Eu, por exemplo, não passo por ali de jeito nenhum. Quero evitar ao máximo, pois tenho medo de que o asfalto afunde novamente”.  

"Solo frágil"

Em nota, o secretário de Administração da Prefeitura de Anhumas, Robson Mariano, afirmou que, no sábado, alguns moradores perceberam uma diminuição na pressão da vazão da água nas torneiras. Procurado o vazamento, a princípio não foi encontrado. No entanto, salientou que, em relação à coleta de lixo no dia de ontem, o caminhão, ao passar pela Rua Segundo Manoel Gardin, fez com que ocorresse o rompimento do asfalto, que cedeu, e deixou o veículo parcialmente atolado. “Em nenhum momento ele ficou ‘ilhado’, pois os pneus cederam no asfalto, onde houve o vazamento do cano de abastecimento de água, conforme demonstrado nas fotos”.
Segundo o secretário, a empresa que faz o abastecimento de água foi acionada, assim como a empresa que fez a obra mencionada. O local, conforme a Prefeitura, é um antigo aterro, o que faz com que a compactação do solo seja “mais frágil”. “A movimentação da água no subsolo provavelmente ocasionou o rompimento”. 

A MOVIMENTAÇÃO DA ÁGUA NO SUBSOLO PROVAVELMENTE OCASIONOU O ROMPIMENTO
Robson Mariano

A obra em questão iniciou em março e finalizou em setembro de 2020, mas, a princípio, segundo a nota, não tem relação com o ocorrido, pois o volume de água que escoa na região é grande. O caminhão foi retirado no fim da tarde e a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) estava no local providenciando os reparos.

Veja também