Associação dos Cegos completa 76 anos hoje

“Além da motivação, a entidade nos ajuda a arrumar trabalho". A comemoração se encera com um bolo para celebrar o aniversário da associação.

PRUDENTE - Gabriela Leal

Data 09/04/2015
Horário 09:33
 

 

A Associação Filantrópica de Proteção aos Cegos de Presidente Prudente, localizada na Rua Thomaz Matheus, completa 76 anos nesta quinta-feira. Na ocasião será servido aos presentes um café da manhã e a Banda Regimental de Música do CPI-8 (Comando de Policiamento do Interior – 8) se apresentará, prestando uma homenagem à entidade. A diretoria, os assistidos e autoridades da região fazem parte da comemoração. Atualmente, a instituição atende cerca de 110 deficientes visuais.

De acordo com a coordenadora da entidade, Eliete Margutti, a comemoração é um momento para os assistidos, pois durante esse período de 76 anos, a entidade cresceu "relativamente bem". "É um grande dia", acrescenta. Atualmente, a associação tem atividades como braile, soroban, informática, orientação e mobilidade, educação física, aulas de dança, música, artesanato e massagem. Há também os grupos psicossociais que são formados pela psicóloga e assistente social.

Ainda de acordo com Margutti, nas aulas de atividade de vida diária, os assistidos são colocados para interagirem uns com os outros, pois "quando se perde a visão é necessário reaprender a fazer tudo". São nessas aulas que os deficientes visuais se reabilitam para voltar ao convívio social. "Saem da sua casa para ter uma comunicação melhor com outras pessoas e, com isso, saem da instituição mais fortalecidos", afirma a coordenadora.

Há três anos na instituição, o assistido José Aparecido Tiseu, 63, conta que desde que chegou à associação sua rotina mudou, e que agora ele sabe como fazer compras sem engano. "Aqui a gente estuda, trabalha, é uma segunda vida, um segundo caminho", acrescenta. A entidade tem como proposta de trabalho a independência e autonomia do deficiente visual, seu desenvolvimento e a participação no meio em que vive.

Por sua vez, o assistido Igor Henrique Pereira da Silva, 20, está na associação há quase três anos. "Além da motivação, a entidade nos ajuda a arrumar trabalho". A comemoração se encera com um bolo para celebrar o aniversário da associação.

 

Baile

Neste sábado, pela segunda vez, ocorre na entidade, a noite dançante. O evento é uma das atividades realizadas durante o ano para arrecadar fundos para a associação. O dinheiro é revertido para a o custeio e manutenção da instituição. "É importante que a população compareça, abrace essa causa para ajudar a entidade", pontua Margutti.


Associação


Criada em 9 de abril de 1939, a Associação Filantrópica de Proteção aos Cegos atende cerca de 110 deficientes visuais, entre 1 e 90 anos. A instituição é de utilidade pública municipal, estadual e federal, certificada no Conselho Nacional de Assistência Social.

A entidade oferece ao deficiente visual tratamentos como psicológico, braile, soroban, informática, educação física, orientação, práticas educativas para uma vida independente, artesanato, dança, massagem, inclusão escolar, orientação e encaminhamento para o mercado de trabalho, entre outros.

O objetivo da instituição é amenizar as desigualdades sociais e reintegrar o deficiente visual na sociedade. Para ser mantida, a entidade conta com a subvenção municipal, estadual e federal, além dos eventos e das pessoas que ajudam com doações mensais.

 

Veja também