Atenção e distração

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Quantas atividades ou tarefas você costuma fazer ao mesmo tempo? Dê a primeira buzinada o motorista que nunca dirigiu e teclou no WhatsApp ao mesmo tempo. Perigoso! Quem nunca estudou ou trabalhou assistindo a um telejornal na tv? Realmente temos essa incrível capacidade de realizar duas ou mais atividades ao mesmo tempo?  

Evolução?
Tenho a impressão que o ser humano (inclusive eu!) tem a pretensão de acelerar sua vida na mesma proporção em que a velocidade e capacidade de processamento dos microchips aumenta. Algo como pensar que nosso cérebro evoluiu nas últimas três décadas ao ritmo da Lei de Moore (sobre a capacidade dos microchips dobrar a cada 2 anos). Realizar atividades diversas simultaneamente e dividir a atenção o tempo todo pode ser uma involução, dada a má qualidade na execução.

Estimulos sensoriais
Mesmo que você estivesse lendo um livro num “quarto branco” (sem estimulo visual ou auditivo), não conseguiria manter 100% da atenção na leitura o tempo todo, pois ainda haveria as distrações de memória e pensamentos. Em nosso cotidiano há um bombardeio de informações chegando de pessoas, do ambiente e do onipresente smartphone. E a neurociência explica que a atenção e distração se alternam pelo menos três vezes por segundo. Desviar a atenção da principal atividade por milesegundo repetidamente é funcional, pois foi um mecanismo evolutivo de segurança para alertar sobre perigos do ambiente.

Aternância
A distração momentânea durante uma tarefa importante, que é uma característica neurofisiológica, não compromete o desempenho e a qualidade da execução. Porém, quando a tarefa principal é deixada de lado por alguns segundos ou minutos, desviando a atenção para responder mensagens ou curtir postagens, por exemplo, a retomada da tarefa principal exige mais de seus neurônios e da memória, implicando em tempo adicional para execução.

Possibilidades
De atenção em nosso cotidiano. A [1] seletiva é aquela na qual privilegiamos estímulos específicos para desempenhar apenas uma atividade; a [2] sustentada tem semelhança com a anterior e adiciona a manutenção do foco em uma tarefa pelo período necessário para realizá-la (denominada também de mindfull ou atenção plena); a [3] alternada permite a mudança “total” do foco para outra atividade e depois a volta para atividade anterior (ex. alternância de atividades com e sem smartphone); a [4] dividida permite a realização de duas ou mais atividades simultaneamente, desde que não requeiram atenção plena.

Atenção plena
O fato é que temos capacidade de realizar três ou mais atividades ao mesmo tempo (ex. treinar, filmar o exercício e conversar). Porém, para realizar uma tarefa que requer resultado final de nível elevado, a atenção deve ser seletiva e sustentada. Qualquer atividade simultânea compromete a capacidade de concentração e o desempenho. Por isso, escrever um trabalho acadêmico, elaborar um projeto no trabalho, realizar uma cirurgia, dirigir etc, são tarefas que requerem mindfull. Treine sua capacidade de atenção seletiva e sustentada para as tarefas importantes.

 

Realizar atividades diversas simultaneamente e dividir a atenção o tempo todo pode ser uma involução.

 

 

Veja também