Autor de disparos em baile funk se entrega

Um rapaz de 26 anos acabou morto e duas mulheres ficaram feridas em um salão de festas, no Jardim Vale Verde II, em Prudente

PRUDENTE - VICTOR RODRIGUES

Data 14/02/2017
Horário 08:58
O autor dos disparos que matou um rapaz e deixou duas pessoas feridas, na madrugada de sábado para domingo, às 3h20, em um baile funk de Presidente Prudente, se entregou à polícia na manhã de ontem, com a presença de seu advogado. Trata-se de um adolescente, 16 anos, que estava foragido desde a data dos fatos. O crime ocorreu em um salão de festas, no Jardim Vale Verde II. Ele foi apresentado ao Juizado da Infância e da Juventude, onde aguarda decisão judicial para ser internado na Fundação Casa (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente).

Jornal O Imparcial Christopher Beraldo morreu

De acordo com o delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais), Rodrigo Moreira Sanches, o menor afirma que se tornou desafeto da vítima por conta de um desentendimento em que Christopher Pereira Beraldo, 26 anos, havia feito um gracejo com a namorada dele. "Eles voltaram a se reencontrar no evento, e a vítima teria se aproximado do adolescente com menção de estar armado, disposto a fazer algo. O menor se antecipou, e como também portava um revólver calibre 38, efetuou os disparos em direção à porta principal. A vítima acabou correndo e os projéteis atingiram outras duas meninas de 18 anos", explica.

Todos foram socorridos e encaminhados ao HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, mas Christopher não resistiu aos ferimentos e veio a falecer na manhã de domingo. De acordo com a Assessoria de Imprensa do hospital, uma das meninas já teve alta e a outra permanece internada, mas está fora de risco. O delegado também não descarta a hipótese de que outras pessoas tenham sido feridas de alguma forma.

Um inquérito policial foi instaurado e testemunhas são ouvidas desde domingo. "Vamos continuar com a apuração dos dados para desvendarmos os problemas", relata Rodrigo.

 

Evento irregular

A Prefeitura, por meio da Sedepp (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico), lacrou o salão onde foi realizado o baile funk por falta de alvará de funcionamento. De acordo com a Secom (Secretaria Municipal de Comunicação), a pasta ainda verifica a informação sobre o vencimento dos alvarás em todas as secretarias responsáveis por sua emissão e fiscalização. "Para qualquer tipo de evento é necessário entrar com um processo administrativo na Prefeitura. Neste processo são solicitados vários documentos ao requerente, como alvará de funcionamento do local, emitido pelo Corpo de Bombeiros, laudo de acessibilidade, entre outros", explica. Após a apresentação de toda a documentação, o processo de realização do evento é encaminhado para a Sedepp, que faz outra análise, antes de autorizá-lo. "Neste caso específico, não houve a solicitação para a realização de um baile no local do salão de festas. Fiscais da Sedepp estiveram domingo no local e lacraram o salão", destaca.

A reportagem procurou pela pessoa responsável pelo salão, mas até o fechamento desta edição, não foi possível contatá-lo.

 
 

Veja também