Câmara aprova urbanização

José Vicente - Da reportagem local

COLUNA - José Vicente

Data 30/09/2020
Horário 03:37

O Legislativo indianense aprovou por unanimidade a urbanização de uma área no Distrito Sete Copas, para efeito de loteamento, que deverá ocorrer em breve, após o desenvolvimento de todo um processo necessário, de acordo cm a legislação. A sessão foi na segunda feira as 10h, em caráter extraordinário, com a presença de todos os vereadores. A urbanização deverá beneficiar em muito o distrito, inclusive com a pavimentação, que é esperada há muitos anos. A valorização da área com aproximadamente 5 alqueires deverá atrair muitos interessados em adquirir lotes de mil metros quadrados, transformados em pequenas chácaras.

Mudanças na política

Podem ocorrer mudanças na política de Indiana, já que um dos candidatos, Toninho Poleto, segundo as últimas informações, deverá desistir da candidatura, e assim sendo haverá substituição, devendo ser escolhido outro nome. Mas, por enquanto, muita especulação, e existem aqueles que acreditam que Poleto voltará a postular o cargo de prefeito. Para todos os efeitos, seu nome continua constando como candidato oficial do MDB, tendo como vice José Vladimir Gava, ex-prefeito do município.

Presidente não disputará

O atual presidente da Câmara de Indiana, Odair Gímenes, afirmou na semana passada que não será candidato, devendo ficar fora da próxima eleição. É sabido que seu nome era cogitado, ao cargo de prefeito, pelo PSDB, mas foi acertado nos bastidores do partido que o postulante será mesmo Alcides Spigarolli. Assim, Odair permanecerá fora da política nos próximos quatro anos.

Obras do calçadão

Estão aceleradas as obras do calçadão, como está sendo chamado, nas imediações da Escola Estadual Professora Maria Ernestina Natividade Antunes, de Indiana, e com certeza beneficiará bastante, principalmente aos estudantes que não dispunham de nenhuma proteção, caminhando sempre no leito carroçável, ficando expostos ao perigo de atropelamento. A via pública tem a denominação de Avenida Regente Feijó, porém, algumas residências recebem correspondências como Avenida João Munhoz, e recentemente houve na Câmara Municipal tentativa de aprovação de outro nome em homenagem a Bento Cachefo, falecido recentemente. Importante destacar que o calçamento é necessário, pois cria um espaço específico aos pedestres, estudantes ou não.

Após pandemia, promoções

A pandemia prejudicou bastante os comerciantes de Regente Feijó, que tiveram que se adequar a um ritmo inusitado de abertura e funcionamento, mas, com a fase amarela, o relaxamento daquelas regras mais rígidas, já se vislumbra a possibilidade de promoções nos últimos meses do ano. Conversando com o presidente da Associação Comercial e Industrial do município, Marcel Lorençoni, ele nos adiantou que algumas promoções bem planejadas, sem agredir as medidas de segurança, poderão ocorrer até o final de 2020.

Falta de estacionamentos

Um dos maiores problemas para moradores das cidades vizinhas a Presidente Prudente tem se agravado a cada dia que passa. A falta de estacionamentos e vagas no entorno do Hospital Regional Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, incluindo vários pontos como Ambulatório e AME (Ambulatório Médico de Especialidades), vem criando uma situação caótica, pois motoristas que transportam pessoas doentes não encontram vagas para estacionar seus veículos e permanecem, às vezes, em fila dupla, tanto para o embarque como para desembarque. É comum também ocorrer discussões entre condutores na disputa de vagas. Uma solução deve ser estudada para que o problema não evolua, e os pacientes não saiam mais doentes e nervosos das imediações do HR.

Rodovia Ângelo Rena

Continua em péssimo estado o leito da Rodovia Ângelo Rena, com crateras enormes, falta de sinalização ou placas cobertas pelo matagal às margens da estrada, causando apreensão aos motoristas que trafegam diariamente. A rodovia é importante para Presidente Prudente, Regente Feijó, Indiana, Martinópolis e outros municípios. Os trabalhos de tapa-buracos não representam a solução, não duram mais que duas semanas e os buracos surgem maiores ainda. Ou se faz um recapeamento decente ou muitos acidentes ocorrerão, ceifando vidas de trabalhadores que por ali transitam cotidianamente.

Veja também