Camelódromo: resistência para transferência

Conforme vice-presidente da Associação Novo Shopping Popular, Francisco Ferreira Lima, ainda não há um acordo geral para que os boxistas deixem a Praça da Bandeira e se instalem no PUM provisoriamente

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 06/12/2019
Horário 20:24
Arquivo - Boxistas têm até o dia 3 de janeiro de 2020 para sair da Praça da Bandeira Foto: Arquivo - Boxistas têm até o dia 3 de janeiro de 2020 para sair da Praça da Bandeira

Há 28 dias para o prazo final de transferência dos boxistas do camelódromo para o PUM (Parque de Uso Múltiplo), em Presidente Prudente, na tarde de ontem, o vice-presidente da Associação Novo Shopping Popular, Francisco Ferreira Lima, Chico, disse que ainda não há um acordo geral para que os boxistas deixem a Praça da Bandeira, de forma provisória, para que haja reformas e a revitalização do Camelódromo. “Nenhum boxista decidiu que irá para o PUM”.

De acordo com Chico, dois fatores ainda levam à decisão dos boxistas quanto a não transferência para o novo local. O primeiro deles é que aguardam a decisão com relação à comissão de pais, que asseguram que a instalação prejudicará as atividades esportivas no espaço. “Então, não vamos entrar em conflito”. E segundo, o projeto de instalação dos boxes no PUM, que ainda não foi divulgado pela Prefeitura.

O vice-presidente da associação acrescenta que as condições de energia no Parque de Uso Múltiplo não são adequadas e que as questões de segurança, “por ser um local fechado”, colocam em risco os boxistas em casos de intercorrências elétricas. “Precisamos de energia e lá só tem fiação para as lâmpadas que estão instaladas. Então, teria que fazer uma reforma elétrica para que possamos ir para lá. Do jeito que está nós vamos correr mais riscos por ser fechado, do que aqui que é aberto. Aqui, em caso de incêndio, conseguimos apagar em curto tempo, mas e dentro de uma quadra?”, questiona. Mas haverá um acordo, segundo ele. “Só vamos se a quadra estiver adequada”.

SECRETÁRIO EXPLICA AS

DECISÕES DA PREFEITURA

Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Carlos Alberto da Silva Corrêa, Casagrande, a Prefeitura manterá a decisão, então, até o dia 3 de janeiro os boxistas têm que deixar a Praça da Bandeira e se alocarem no PUM. E se após o prazo final do período de transferência ainda houver resistência dos boxistas, o titular lê na íntegra o Termo de Audiência datado em 15 de outubro de 2019, a qual diz: “A reforma no local, hoje determinado camelódromo (Praça da Bandeira), é objeto de licitação já finalizado. Iniciar-se-á, impreterivelmente, no dia 6 de janeiro de 2020, devendo todos os boxistas providenciarem sua transferência [do seu  bolso] para o Parque de Uso Múltiplo, no período de 16 de dezembro de 2019 a 3 de janeiro de 2020. Data essa limite da desocupação voluntária, sob pena de perda do direito hipotético do boxe e ainda de retirada forçada”.

Casagrande acrescenta que, se houver resistência até o dia 3 do próximo mês, a Prefeitura vai cancelar a reforma e cumprir a determinação judicial, ou seja, “retirar” os 34 boxistas que estão atuando irregularmente. “E a Promotoria vai mandar para a juíza a denúncia de 117 boxes, cujos donos totalizam 28 pessoas”.

No que diz respeito à iluminação e questões elétricas do PUM, o secretário diz que está tudo pronto, pois o local é uma quadra esportiva e que não há problemas. Quanto à comissão de pais de alunos que frequentam o espaço esportivo, acrescenta que o local foi indicado pelo prefeito e, que, não há outros espaços para realocá-los. “É uma mudança provisória, ninguém irá ficar lá. As crianças que praticam esportes, já têm um novo quadro de reinstalação e sem prejuízo algum. Nós estamos na Secretaria de Desenvolvimento Econômico à disposição dos boxistas, assim como de toda comunidade de Prudente. O pré-projeto está pronto e já providenciamos, hoje, a vistoria do Corpo de Bombeiros no local”.

Veja também