Catarina Scarabottolo apresenta: “O mundo que dança em nós”

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 11/04/2021
Horário 06:00
Foto: Fred Mello

A partir deste domingo, sempre às 20h, pelo YouTube da Ballare Escola de Dança apaixonados pela magia que a dança proporciona aos olhos e leva tanto o dançarino quanto o expectador a outros universos e momentos intensos, poderão vivenciar isto assistindo o espetáculo “O mundo que dança em nós”. O projeto de dança é de idealização da professora de balé e de ioga, Catarina Covolo Scarabottolo, em parceria com a escola Ballare, aprovado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do governo do Estado de São Paulo (Lei Aldir Blanc). Inspirado em reflexões relacionadas a tudo que é cíclico, o “O Mundo que Dança em Nós” extrapola por diversas linguagens, passeando pelo balé clássico, dança contemporânea, improvisação e poesia.

 

Fale-nos sobre a idealização do projeto, Catarina. Como foi que surgiu?
O projeto “O Mundo que Dança em Nós” foi idealizado alguns anos atrás. Sempre tive vontade de criar um espetáculo dançado apenas por mulheres e que abordasse de alguma forma o tema do feminino. A aprovação do projeto no Edital Proac Expresso Lei Aldir Blanc Nº37/2020 - “Produção e temporada de espetáculo de dança com apresentação online”, o apoio da Secult (Secretaria Municipal de Cultura) de Presidente Prudente, e a parceria com a Ballare Escola de Dança, foi a oportunidade de tirá-lo do papel e iniciar a produção para colocá-lo em prática. 

 

O que “O Mundo que Dança em Nós” apresenta?
“O Mundo que Dança em Nós” é um espetáculo que fala sobre ciclos. Tudo nessa vida é cíclico: As estações do ano, o dia, a lua... A infância, a adolescência, o envelhecimento, a vida, a mulher. Nesse espetáculo, a mulher é a representação do significado de ciclo. Cada ciclo que surge dentro da mulher, é exposto em forma de dança durante o espetáculo. E todas as coreografias são envolvidas por poesia escrita por grandes artistas mulheres como: Ana Claudia Quintana Arantes, Cecília Meireles, Clarice Lispector, Conceição Evaristo e Lucia Helena Galvão. Inspirado em reflexões relacionadas a tudo que é cíclico, o “O Mundo que Dança em Nós” extrapola por diversas linguagens, passeando pelo balé clássico, dança contemporânea, improvisação e poesia.

 

Quantas profissionais estão envolvidas?
O espetáculo é interpretado por sete bailarinas que fazem parte do Ballare Grupo de Dança: Ana Beatriz Salles Luana, Cuerba Santos, Mariana Gomes Neias, Marielen Tomiasi Baptista, Nathalia Navarro Araújo, Nathalia Peixoto Milão, Vitória Queiroz Quatrochi de Lima. A interpretação das poesias é feita pela artista Nani Barbosa. A produção artística é feita por mim (coreografias, repertório musical, concepção de figurinos, etc). E a produção geral é da Tâmara Barbosa e Fernanda Benvenuto (criação do cenário, mapa de iluminação, edição, ensaios do grupo, etc). Tamara, Fernanda e eu somos um trio de artistas de muitas afinidades dentro e fora dos palcos, tornando possível desenvolver trabalhos como esse espetáculo.

 

Qual a importância de levar essa arte ao conhecimento do público neste momento ainda que por meio digital? 
No contexto atual que estamos vivendo, esse espetáculo é um convite ao público para que todos possam apreciar a arte, a dança. É um convite para vivenciarmos os ciclos do corpo, da alma, da arte. 

 

Fale-me da sua relação pessoal com a dança, Catarina. Quando vocês se encontraram? Se bem que acredito que nos encontramos com a arte desde a nossa concepção, rs.
Eu iniciei meus estudos em balé clássico com 5 anos. Desde muito nova soube que a dança sempre faria parte da minha vida. Fui aluna da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (única filial fora da Rússia), onde tive a oportunidade de aprofundar meus estudos em dança clássica com renomados professores russos e brasileiros. Dancei por alguns anos em escolas e companhias de balé nos EUA, aperfeiçoando meu aprendizado principalmente na técnica americana de balé clássico. 

 

O que a dança promove ao corpo humano em cada fase da vida? 
A dança só traz benefícios para quem pratica, não importa a faixa etária. Os benefícios vão para além do corpo físico. Faz bem para mente e para qualidade de vida, e de brinde, ganhamos melhora da coordenação motora, força, flexibilidade, agilidade, equilíbrio e memória. A dança é para todos!

 

Catarina Covolo Scarabottolo... 
Sou registrada como artista, na função de bailarina sob o número 0038177/SP (DRT). Fui aluna da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil dançando em turnê por diversas cidades em todo o Brasil, assim como no Festival de Ravello, na Itália. Fui bailarina na Cia internacional Charlotte Ballet e no Ballet Chicago Studio Company, ambas nos Estados Unidos. Atualmente atuo como instrutora, professora e coreógrafa de balé clássico na Ballare Escola de Dança, e também como professora de ioga, tanto na Ballare quanto no Espaço de Yoga Shanti. Sou graduada em Educação Física (Bacharelado) pela Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) e mestre em Ciências da Motricidade pela Unesp (Universidade Estadual Paulista)

SERVIÇO
Sempre às 20h, com duração de aproximadamente 30 minutos, o espetáculo “O mundo que dança em nós” será transmitido pelo canal do Youtube da Ballare Escola de dança. https://www.youtube.com/channel/UCtBFZueSUDQ_HxdMo6pljZg

Foto: Arquivo Pessoal - Antes da pandemia, o trio de muitas afinidades dentro e fora dos palcos:Tamara Barbosa (esq.), Fernanda Benvenuto e Catarina

 

Fotos: Fred Mello

 

 

Veja também