CEI do Transporte: vereadores realizam primeira fiscalização de linhas de ônibus em Prudente

Integrantes da Comissão Especial de Investigação passaram pelos bairros Vida Nova Pacaembu e Jardim Cambuci, além do terminal da zona leste

PRUDENTE - CAIO GERVAZONI

Data 23/05/2022
Horário 14:33
Foto: Câmara Municipal
CEI do Transporte Público iniciou fiscalização in loco na manhã desta segunda
CEI do Transporte Público iniciou fiscalização in loco na manhã desta segunda

Vereadores da CEI (Comissão Especial de Investigação) do Transporte Público deram início na manhã desta segunda-feira à fiscalização do serviço do transporte coletivo em Presidente Prudente. A presidente da comissão, Miriam Brandão (Patriota), e o relator Ivan Itamar da Silva (PSB) estiveram nas linhas dos bairros Vida Nova Pacaembu e Jardim Cambuci, além de passarem pelo o terminal urbano da zona leste.

De acordo com a vereadora Miriam Brandão, a fiscalização começou às 6h e teve como ponto de partida os bairros da zona leste, que, segundo ela, é a região do município onde há maiores reclamações dos usuários sobre o constante atraso dos ônibus no horário em que estão se dirigindo ao trabalho, a mudança das linhas sem aviso prévio e a condição estrutural de alguns veículos.

“Conversamos com muitos usuários. As reclamações maiores são os atrasos e que os ônibus não possuem horários fixos. Muitas pessoas também falaram sobre a condição dos ônibus, que estão velhos. Pudemos verificar que muitos ônibus realmente demoram a chegar e isso faz com que os veículos saiam cheios porque ninguém quer ficar lá esperando e aguardar a passagem de um outro veículo”, descreveu a presidente da CEI. 

Segundo Miriam, ao longo da semana, a fiscalização da CEI do Transporte Público se dará em outras localidades do município. “Vamos dar sequência nisso. Nesta terça-feira, estaremos em outros lugares. Vamos rodar a cidade de Presidente Prudente. Também andar de ônibus e ver a situação. Há muita reclamação de que as janelas não abrem, às vezes não tem o ar-condicionado e as janelas estão fechadas, outras que os ônibus estão realmente mais velhos do que foi prometido”, pontuou a vereadora. 

Conforme indica a presidente da CEI, o trabalho de fiscalização da comissão também versa sobre a audiência pública sobre a nova licitação do transporte público que ocorrerá nesta sexta-feira, às 15h, na Câmara Municipal. “Esse é um contrato emergencial [com a SOU Prudente], que termina agora no dia 30 de junho. Vai ocorrer uma audiência pública no dia 27 para falar sobre a nova licitação, então a gente está trabalhando em cima disso para que, no contrato desta nova licitação, estejam estes pontos que estamos averiguando, como cumprimento correto de horários e ônibus mais novos”, enfatiza. 

"À disposição"

Em nota, a Prefeitura de Presidente Prudente, por meio da Semob (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana), informou que a pasta “está à disposição da Câmara para prestar todas as informações a serem solicitadas pela referida comissão".

A reportagem tambem solicitou posicionamento à SOU (Sistema de Ônibus Urbano) de Presidente Prudente e aguarda resposta.

CEI do Transporte Coletivo

A CEI do transporte coletivo foi criada após a aprovação do requerimento nº 04312/18, na sessão ordinária do dia 9 de maio. A matéria foi de iniciativa dos vereadores Douglas Kato Pauluzi (PTB); Ivan Itamar; João Barbosa Ferreira, Joãozinho da Saúde (DEM); Miriam Brandão; Tiago Santos de Oliveira (PTB); Wellington de Souza Neves, Wellington Bozo (MDB), que é membro da comissão; e William César Leite (MDB).

Após a aprovação, o grupo tem agora 90 dias para realizar diligências, bem como ouvir todas as autoridades, servidores e empresa concessionária envolvida e submeter relatório final ao Plenário.

No documento, os vereadores autores lembraram que "o transporte coletivo urbano de Presidente Prudente atualmente é operado em contrato emergencial com a empresa Santa Cecília Turismo Ltda. [Sancetur], que atua com o nome fantasia de Sistema de Ônibus Urbano, SOU".

Além disso, os parlamentares ressaltaram que todos os integrantes do Legislativo "têm recebido inúmeras reclamações da população em geral sobre o transporte coletivo, seja nas redes sociais, como por meio de aplicativos de mensagens, com textos, áudios e vídeos da situação".

"O transporte coletivo urbano é uma concessão do município para operação de uma empresa particular", citaram os vereadores. "É dever-poder do Legislador a fiscalização dos contratos e serviços públicos que o Executivo presta ao cidadão", justificaram.

Veja também