CHARANGA DOMINGUEIRA de 26-06-2016

Esportes - Flávio Araújo

Data 26/06/2016
Horário 10:58
 

 

AMÉRICA, EUROPA, BRASIL FORA


No meio de semana houve uma verdadeira quarta-feira gorda no futebol. Até no Brasil uma empolgante jornada do Brasileirão. Mas, o que me encheu os olhos foram os cotejos internacionais. E não terminou na quarta-feira. Este fim de semana será de estourar as medidas com a decisão da Copa América e com a definição das oito melhores seleções da Eurocopa. As oitavas da Euro começaram ontem e como escrevemos antes nada podemos falar sobre Suiça x Polônia, Croácia x Portugal e Pais de Gales x Irlanda do Norte. Futebol por futebol, Polônia, Croácia e Pais de Gales apresentaram-se melhor até agora. Mas, sem arriscar... Hoje a Hungria enfrenta a Bélgica em jogo de muito equilíbrio enquanto a Alemanha é favorita diante da Eslováquia e a França diante da Irlanda. Para amanhã, segunda-feira o jogo mais esperado: Itália x Espanha, sem favoritismo e Inglaterra x Islândia, a poderosa Inglaterra diante da pequena Islândia, uma dessas surpresas que o futebol nos apresenta. A Islândia é um imenso bloco de gelo. Já foi da Noruega, da Dinamarca e é independente não faz muito tempo. Tem uma população de 300 e poucos mil habitantes. Algo como uma Prudente e meia. Pela primeira vez esse pequeno país onde o povo é quase todo uma família comparece a uma competição desse nível e passa da fase de grupos onde estacionaram potencias como Rússia, Áustria ou Suécia. Mais de 10% da população islandesa compareceram à França incentivando sua equipe até agora invicta e em seus jogos era comum seus jogadores acenando para os seus torcedores já que quase todos se conhecem. É um povo de uma simpatia cativante. São as coisas belas que o futebol pode mostrar, bem no sentido oposto daqueles que vão explodir morteiros ou exibir sinalizadores. Algo das coisas belas que o futebol linguagem universal pode mostrar à toda face do planeta. Pena que nem sempre seja assim. Aqui no hemisfério americano Chile e Argentina devem realizar um duelo de morte e a melhor técnica argentina não a transforma em favorita diante da vontade, da velocidade e do melhor sentido coletivo do Chile. A Argentina é muito boa do meio para frente. Permitam que termine esta coluna deixando uma palavra de boa-passagem ao meu cunhado Aristóteles Pinheiro, irmão da Yvette, que partiu para a Vida Maior. Foi companheiro no rádio prudentino como vocês acompanharam neste jornal e conosco vivia há muito anos. Desde já muita saudade do Totinho que não teve sua última vontade atendida: queria ser sepultado em Prudente, a cidade que tanto amava.

 

Flávio Araújo, jornalista e radialista prudentino escreve aos domingos neste espaço.        

Veja também