Cobertura vacinal contra pólio é preocupante em Prudente

Em atualização da VEM de ontem, a pasta informa que foram aplicadas 5.374 doses, o que compreende 52,25% do público, quando o mínimo exigido pelo Ministério da Saúde é de 95%

Saúde & Bem Estar - OSLAINE SILVA

Data 30/10/2020
Horário 07:15
Freepik - Tem um pequeno de até 5 anos em casa? Não vacinou ainda? Então, leve-o!
Freepik - Tem um pequeno de até 5 anos em casa? Não vacinou ainda? Então, leve-o!

No dia 16 de outubro, O Imparcial trouxe a informação de que as equipes da VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) de Presidente Prudente estavam preocupadas com a cobertura na Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite (5/10 a 31/10), para crianças de até 5 anos, uma vez que haviam 10.485 crianças para imunizar e, até então, só 1.255 tinham sido levadas às unidades. Em atualização no dia de ontem, a pasta expôs que foram aplicadas 5.374 doses, o que chega a uma cobertura vacinal de 52,25%.
De acordo com Elaine Bertacco, diretora da VEM, os números são insatisfatórios, pois a cobertura mínima exigida pelo Ministério da Saúde é de 95%. “É muito, muito preocupante, porque estamos falando de uma doença séria e que, embora erradicada no país, por conta dessas baixas coberturas pode voltar. É importante termos uma população imunizada não somente contra a pólio, mas todas as outras”, enfatiza a diretora.
Segundo Elaine, o Brasil recebeu o certificado de erradicação da transmissão autóctone do poliovírus selvagem em 1994. Em outros países essa transmissão ainda não foi sessada. Então com essas baixas coberturas pode ocorrer sim a reintrodução dessa doença como foi o caso do sarampo. “Por isso temos que manter o que é preconizado pelo Ministério da Saúde, a taxa de cobertura de no mínimo 95%. E a vacina é a forma mais segura e eficaz de prevenção, de evitar que essas doenças uma vez erradicadas não sejam reintroduzidas no país”, reforça.
Elaine menciona que o município conta com 27 salas onde as mães ou responsáveis devem comparecer com suas crianças para protegê-las.  “Procurem a unidade mais próxima de sua residência. Façam sua parte como cidadãos e ajudem a controlar essas doenças. Se comprometam. Esses números não são apenas números, cada um deles é seu filho ou de um parente, de um amigo que se não tomarem a vacina podem adoecer”, pede a diretora da VEM.

ESSES NÚMEROS NÃO SÃO APENAS NÚMEROS, CADA UM DELES É SEU FILHO OU DE UM PARENTE, DE UM AMIGO QUE SE NÃO TOMAREM A VACINA PODEM ADOECER”
Elaine Bertacco

Para motivar os pais a levarem seus pequenos para serem imunizados, Elaine comenta que cupons estão sendo distribuídos nas unidades para que preencham e, ao final da campanha, concorram ao sorteio de brindes, como motoquinhas, adquiridas em parceria com o Rotary Clube.

O que é a pólio?

Uma doença viral contagiosa aguda que pode levar os nervos à paralisia parcial ou total. Os sintomas são febre, mal-estar, cefaleia, distúrbios gastrointestinais, rigidez na nuca acompanhada de paralisia. “Se a pessoa tem alguma alteração em seu organismo nunca se automedique, mas sim procure assistência médica. Nada de passar a receitinha um para o outro que sabemos que acontece e muito. Isso é perigoso”, alerta Elaine.

 

Foto: Cedida

campanha contra a pólio em presidente prudente
Para motivar os pais a imunizarem seus filhos tem até cupons para o sorteio de brindes

Veja também