Com surto de dengue, PP chega a 2.004 casos

Conforme a VEM, o número de exames acumulados, aguardando por resultados, é de 584, além de outras 2.958 notificações

PRUDENTE - Mariane Gaspareto

Data 13/02/2016
Horário 09:06
 

Com situação de surto de dengue apontada pelos índices breteau e de infestação predial, Presidente Prudente chegou a 2.004 casos confirmados de dengue em 2016 conforme o balanço divulgado pela VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) ontem, confirmando novos 338 casos positivos. Atualmente, o número de exames acumulados, aguardando por resultados, é de 584, além de outras 2.958 notificações. Neste ano, o município já confirmou uma morte em decorrência da dengue, e aguarda o laudo de outros dois óbitos possivelmente causados pela doença.

Para os levantamentos, a VEM vistoriou 4.477 imóveis, o que equivale a mais de 600 residências visitadas em cada uma das sete áreas de Prudente. Segundo as informações da Secom (Secretaria Municipal de Comunicação), o IB (Índice Breteau) e o IIP (Índice de Infestação Predial) do município ficaram em 6,6 e 5,2, respectivamente.

A título de comparação, o IB e o IIP registrados no mesmo período do ano passado foram bem inferiores: 5,3 e 4,2. Os dados representam situação de surto, conforme os padrões da OMS (Organização Mundial de Saúde), já que os indicadores considerados toleráveis devem ser inferiores a 4.

A metodologia dos levantamentos ajuda a mapear os locais com altos índices de infestação do Aedes aegypti e, consequentemente, possíveis epidemias, analisando a quantidade dos imóveis pesquisados que têm larvas do mosquito. Como noticiado ontem por este diário, a Prefeitura está estudando a possibilidade de endurecer as punições e multas para os imóveis que forem surpreendidos com recipientes contendo larvas.

A Lei 9.301/15, de Goiânia (GO), está sendo utilizada como base para esta análise, legislação que estabelece multa de mais de R$ 800 para casas irregulares, R$ 1,2 mil para condomínios e até R$ 17 mil para grandes obras da construção civil. Hoje, em Prudente, a multa determinada para proprietários de casas com larvas do Aedes aegypti é de R$ 323, e para terrenos baldios, estabelecimentos comerciais e industriais, de R$ 647.

 

Áreas mais críticas


A área 1 foi a que apresentou os maiores índices, com IB em 14,1 e IIP em 10,8. Ela compreende bairros como Monte Carlo, Prudentino, Mario Amato, Shiraiwa, Vale do Sol, Villa Real, Girassóis, Alto da Boa Vista, Higienópolis, Damhas, entre outros. Na contramão, a 3 teve os indicadores mais baixos:  IB em 2,5 e IIP em 2,2. Esta área contempla o Jardim das Rosas, Central Park, Icaraí, Morumbi, Cinquentenário, Cerejeiras, Bela Daria, Bongiovani, Industrial e Vila Formosa.

A segunda área mais crítica é a 5 (IB em 7,3 e IIP em 5,5), composta pelos bairros: Bosque, centro, Maristela, jardins Aviação, Estoril, Paulista, Parque São Judas Tadeu, entre outros. A área 6 vem em seguida (IB em 6,8 e IIP em 5,0), a qual abrange Maré Mansa, Novo Bongiovani, Maracanã, Eldorado, São Matheus, São Lucas, Vitória Régia, Jardim Iguaçu, entre outros.

Já as áreas 2 e 4 tem IB avaliado igualmente em 6,1. Entretanto, a primeira tem IIP em 5,0 enquanto que a segunda em 4,9. A área 2 é composta por bairros como o Residencial Green Ville, Funada, Vale Verde, Servantes, Ouro Verde, Jequitibás, Everest, Cohab e outros; e a 4 pela Vila Furquim, Itapura 1 e 2, Sumaré, Residencial Itapuã, Parque Alvorada, Brasília, Planalto, Santa Mônica, entre outros. A área 7, com IB em 3,0 e IIP em 2,6, compreende os bairros Augusto de Paula, Brasil Novo, Francisco Belo Galindo, Jardim Morada do Sol, Vila Operária e Vale das Parreiras.

 

SERVIÇO

MUTIRÃO

A VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) promove hoje mais um mutirão de combate à dengue, na área 2 de Prudente, das 8h às 17h. Caminhões da Prudenco (Companhia Prudentina de Desenvolvimento) passarão recolhendo todos os recipientes e materiais deixados pela população das ruas desses bairros.

 

Veja também