Comissão percorre 17 de 22 UBSs de Prudente

Na vistoria de ontem, os membros da comissão não identificaram a falta de médicos, já que o posto conta com cinco profissionais – um em licença-prêmio.

PRUDENTE - Elaine Soares

Data 20/03/2015
Horário 09:06
 

A Comissão Especial formada pelos vereadores Démerson Dias, o Démerson da Saúde (PSB), Valmir da Silva Pinto (PTB) e Adilson Silgueiro (PMDB), realizou na manhã de ontem sua 17ª visita a UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade, cumprindo quase 80% da meta, que é percorrer 22 postos do município, o que, segundo Dias, deve ocorrer até o final do mês. Nesta quinta-feira, os parlamentares estiveram na unidade da Vila Real e lá encontraram problemas estruturais e também ouviram reclamações da população quanto ao atendimento prestado pelos recepcionistas do local. Todas as informações colhidas ao longo do trabalho serão apresentadas em forma de relatório aos demais vereadores, assim que o mapeamento estiver concluído. Possíveis casos graves ou urgentes observados nos postos de saúde podem ensejar até mesmo na abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), como aponta o representante do PSB.

Na vistoria de ontem, os membros da comissão não identificaram a falta de médicos, já que o posto conta com cinco profissionais – um em licença-prêmio. No quesito "médicos" a reclamação partiu do ginecologista que diz estar "sobrecarregado", tendo que atender pacientes do Conjunto Habitacional Ana Jacinta que, segundo informado aos parlamentares, não possui especialista do gênero atuando no posto de saúde. Por meio da Secom (Secretaria Municipal de Comunicação), a administração municipal se comprometeu a verificar o fato e ver se é possível agir no sentido de aliviar a carga do profissional.

Quanto ao mau atendimento da recepção, a prefeitura destaca que a obrigação de lidar com este assunto é do gerente da UBS, que será cobrado. "Verificaremos como está esta gestão. Se necessário for, trocaremos a gerência ou ela terá que se adequar", avisa.

 

Estrutura


Engajados no trabalho de averiguar como anda a oferta de serviço nas unidades básicas da cidade, o trio de legisladores anotou uma a uma as reivindicações não apenas da população, mas também dos trabalhadores do local. A falta de ar-condicionado no prédio, por exemplo, foi um dos pontos citados por eles. Segundo informado aos vistoriadores, apenas 1 dos 5 consultórios existentes no prédio possui o equipamento. A demanda deve ser resolvida em 90 dias, de acordo com a Secom. Isto porque, conforme a pasta, uma licitação está em andamento com vistas a sanar o problema. A prefeitura também deve se mobilizar para resolver a questão da infiltração, outra situação identificada durante a vistoria.

O tamanho da farmácia que funciona na UBS ainda foi tratado durante a visita dos vereadores. De acordo com Dias, uma farmacêutica e uma auxiliar de farmácia dividem com medicamentos um espaço mínimo. Por conta da área reduzida, não é possível estocar remédios e "a população é que acaba sofrendo", diz o vereador.

A Secom discorda desta afirmação. Para a pasta, o mais importante é que "não tem faltado remédio na cidade". "A farmácia cumpre seu papel e tem atendido aos cidadãos. É a primeira vez que recebemos uma reclamação sobre ela", ressalta.

 

Vistorias


Com o objetivo de "acompanhar o inquérito civil instaurado pelo MPE para apuração de irregularidades relacionadas a médicos que prestam serviços na Secretaria Municipal de Saúde", a Comissão Especial visita as UBSs desde janeiro, tendo iniciado pelo Ana Jacinta, conforme divulgado pela Assessoria de Imprensa da Câmara. Na seqüência, foram vistoriadas as unidades do Parque Alvorada, Jardim Guanabara, Conjunto Habitacional Brasil Novo e os postos de saúde dos distritos, entre outras unidades.

Após cada visita, os vereadores solicitam documentos à pasta da Saúde para confrontar com as informações prestadas pelos gerentes das UBSs.

 

Veja também