Como evitar cair em golpes na Black Friday?

Especialista fala sobre o assunto e dá dicas simples, porém, valiosas para o seu bolso, como atentar-se aos preços

PRUDENTE - OSLAINE SILVA

Data 26/11/2021
Horário 05:12
Foto: Cedida
Antes das compras, Sérgio recomenda pesquisar os preços e buscar por reclamações sobre o site
Antes das compras, Sérgio recomenda pesquisar os preços e buscar por reclamações sobre o site

Programada para esta sexta-feira, dia 26 de novembro, a Black Friday tem muita força no comércio eletrônico, onde a grande gama de sites permite que os usuários tenham acesso a milhares de produtos sem precisar sair de casa. No entanto, é preciso que os consumidores redobrem os cuidados na hora de fazer compras online, ainda mais nesta data, quando deverá aumentar o número de golpes. E Sérgio Pedro da Silva, 40 anos, docente da área de TI (Tecnologia da Informação) do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) de Presidente Prudente, destaca que o ponto principal que as pessoas devem se orientar é em relação ao preço. 
Por quê? Segundo ele, exatamente por hoje em dia golpistas estarem se aproveitando desses temas, como foram vários os golpes em cima da Covid-19, do Auxílio Emergencial, a Black Friday é mais um que chama a atenção desses indivíduos para cometerem delitos virtuais. “Muitas vezes nem o produto ofertado existe”, ressalta o docente.
Com isso, Sérgio aconselha que, primeiro de tudo, antes de ir a compras na frente da tela, para tentar descobrir se um site pode ser malicioso ou não, deve-se observar o preço. Se você quer comprar um celular e vê que no site o valor dele destoa muito, tá muito barato do que o comparado com lojas de grandes redes, aí já pode ficar alerta. 
“Porque é uma forma que o criminoso tem para tentar chamar o cliente e pegar seus dados... Outra opção é antes de iniciar a compra procurar no Reclame Aqui, por exemplo, se determinado site tem reclamações dele”, explana o docente. 

Depende do público

Geralmente, em se falando de artigos eletrônicos, o professor comenta que os que disparam nas buscas são celulares, fones de ouvido, jogos, videogames. “Também depende muito do público consumidor. Mas quanto mais jovens na demanda por compras são atrelados esses produtos. E assim por diante”, explica Sérgio, fazendo uma ressalva sobre a questão de segurança. Porque, conforme ele, criminosos da internet se aproveitam desses períodos, como a Black Friday, para tentar conseguir os dados de alguém. “Com a demanda do acesso, houve um aumento significativo desses crimes”, pontua. 

Pesquisar preços

O que é bastante proveitoso é a pessoa poder fazer uma pesquisa de preços antes. Por exemplo, está interessado em comprar um eletrônico, vá acompanhando o preço até chegar o momento da Black Friday, aí pode-se ter a certeza se o preço está dentro daquilo que esperava ou um pouco mais abaixo. 
E hoje em dia tem vários sites de busca de produtos que fazem esse histórico de preços. Então isso é um parâmetro que a pessoa pode utilizar para fazer a sua compra. “Porque, muitas vezes, existe o marketing nas lojas, e alguns produtos compensam, outros não”, salienta o docente em TI.

SAIBA MAIS

Black Friday aquece vendas de fim de ano em Prudente

Veja também