Déficit de policiais civis preocupa sindicato

Na região de Presidente Prudente, de 1.251 postos previstos em lei, 661 estão ocupados, aponta Sindpesp

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 03/02/2021
Horário 09:00
Foto: Arquivo/Roberto Kawasaki
De 41.912 cargos previstos na Polícia Civil, 27.464 estão ocupados
De 41.912 cargos previstos na Polícia Civil, 27.464 estão ocupados

Um levantamento do Sindpesp (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo) aponta que, dos 41.912 cargos previstos na Polícia Civil, 27.464 estão ocupados (65,5%). Ou seja, faltam 14.448 policiais civis, o que faz com que a categoria trabalhe com recursos humanos 34,5% abaixo do número ideal. Já na região de Presidente Prudente, a situação das seccionais que formam o Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) é ainda mais preocupante, porque estão abaixo da média.

O destaque negativo é para a seccional de Assis, que trabalha com 37% dos seus postos ocupados (-168 cargos). Adamantina aparece na sequência com 45% de ocupação (-116); Prudente com 56% (-178); Presidente Venceslau com 63% (-79); e Dracena com 68% (-49).

A delegada Raquel Kobashi Gallinati, presidente do Sindpesp, afirma que o cenário sobrecarrega os policiais, que chegam a realizar a função que deveria ser feita por quatro pessoas. 

“Compromete muito a qualidade do serviço de investigação e a segurança pública dos moradores da região. Hoje, trabalhamos com equipamentos obsoletos, viaturas sem manutenção e delegacias em péssimo estado de conservação”, lamenta a delegada. 

No dia 30 de dezembro, o governador João Doria (PSDB) nomeou 600 investigadores de Polícia Civil. De acordo com a delegada, o número representa 4,15% do déficit total de 14.448, sendo insuficiente. O assunto já foi tema de debate em reunião realizada em julho de 2019. Na época, delegados de polícia da região se reuniram com o sindicato para discutir as dificuldades de trabalho da categoria.

Conforme os números divulgados no encontro, no Deinter-8 estavam ocupados 803 dos 1.251 cargos previstos em lei. Hoje, são 661 ocupados dos 1.251 previstos, ou seja, se antes faltavam 448 policiais, atualmente faltam 590. 

“A situação só não é pior pela dedicação dos policiais, que se desdobram para oferecer uma segurança pública de qualidade”, afirma Raquel. “O Sindpesp vai continuar denunciando o descaso do governo do Estado com a Polícia Civil, que, em última instância, é um descaso com a segurança da população paulista”. 

déficit de policiais civis na região de presidente prudente
Foto: AI do Sindpesp - Raquel lembra da dedicação dos policiais neste cenário

"Pior salário do Brasil"

Outra preocupação do sindicato diz respeito ao salário. Segundo o levantamento da categoria concluído em dezembro, o delegado de polícia que inicia 2021 no Estado de São Paulo vai receber o pior salário entre os profissionais de todo o Brasil. A remuneração dos delegados paulistas é de R$ 10.382,48. Como comparação, no Mato Grosso, que paga o melhor salário do país, o valor é de R$ 24.451,11.

Por sua vez, os salários de investigadores e escrivães também colocam São Paulo entre os piores. Com valor inicial de R$ 3.931,18, estão à frente apenas de Pernambuco (R$ 3,9 mil), Santa Catarina (R$ 3.842,20 para investigador e R$ 6.314,70 para escrivão), Alagoas (R$ 3.800) e Ceará (R$ 3.732,86).

Nas palavras do Sindpesp: “a desvalorização salarial é um dos fatores que comprovam o sucateamento da Polícia Civil paulista, que junto com o déficit de policiais e a falta de estrutura apontam a ausência de investimento do governo na segurança da população”.

SAIBA MAIS
Desde 2017, o Sindpesp faz o levantamento dos recursos humanos da Polícia Civil paulista. Os dados podem ser acompanhados mensalmente no site www.sindpesp.org.br, no Defasômetro.

DÉFICIT DA POLÍCIA CIVIL - DEINTER-8
DELEGACIAS SECCIONAIS ADAMANTINA ASSIS DRACENA PRES. PRUDENTE PRES. VENCESLAU
Cargos Ocupados Previstos em lei Ocupados Previstos  Ocupados Previstos  Ocupados Previstos  Ocupados Previstos 
Delegado 14 24 11 27 12 18 29 41 15 24
Escrivão 33 50 29 65 26 36 70 101 39 49
Investigador 39 73 33 96 35 54 89 144 38 72
Agente policial 6 49 20 58 26 35 38 89 30 50
Agente de telecomunicação 3 6 3 8 5 4 1 14 6 8
Papiloscopista 0 3 0 3 1 3 0 6 3 3
Aux. papiloscopista 0 6 1 8 1 5 2 12 3 7
TOTAL 95 211 97 265 106 155 229 407 134 213
Fonte: Sindpesp - Ago/20                    

Veja também