Deu a Louca no Mundo

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista a favor da baleia e contra o baleeiro

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 07/10/2020
Horário 05:30

O Malafaia está com a macaca e outros símios. Histérico, o "pastor" vomita fogo nas redes sociais contra o Bolsonaro por não concordar com a decisão do presidente de nomear o desembargador Kassio Nunes para o Supremo Tribunal Federal.
Mal La Falha, quer dizer, Malafaia queria um ministro "terrivelmente evangélico", mas isso fica para depois. Nunes é católico. Daí a bronca do Malafaia, que também não se conforma pelo fato de Nunes ter sido nomeado para um tribunal federal pela então presidente Dilma Rousseff. E daí, cara-pálida?
Quem esse charlatão ridículo do Malafaia pensa que é?  Pelo jeito ele quer palpitar sobre as decisões do governo, indicando nomes de sua preferência para determinados cargos. Vai ver esse embusteiro pensa que pode atuar como se fosse uma espécie de Rasputin, o religioso que dava conselhos ao tzar Nicolau, da Rússia.
Com seu histerismo e sua agressividade, Malafaia é inimigo da democracia. Fala besteira a dar com pau e o pior é que tem gente que acredita e dá dinheiro para esse sujeito, que deveria ser investigado pelo Ministério Público. 
Rancoroso e vingativo, ele parece que quer chantagear o Bolsonaro, que de bobo não tem nada e decidiu dar um "chega pra lá" nesses tranqueiras, como o Malafaia, que deveria seguir o conselho que lhe deu o saudoso jornalista Ricardo Boechat.
Por falar em sujeitos desagradáveis, li que o Marreco de Maringá cogita deixar o Brasil. Aliás, já vai tarde. Ele perdeu a serventia depois de destruir a democracia e a economia deste país. Marreco está no maior ostracismo. Bem feito!
E o Trump, hein? Depois de pegar a Covid-19, ele disse que sente-se melhor do que há 20 anos. Ué, então, nesse caso, a doença lhe fez bem? Trump é um mentiroso de carteirinha. Mente o tempo todo. Jornalistas sérios dos EUA não acreditam nele. Deveria renunciar e cuidar da saúde.
Mas também tem coisas boas neste mundão de meu Deus. No caso, pessoas do bem, entre elas a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, cujo governo deu "uma rasteira" no novo coronavírus. 
É a segunda vez que o governo trabalhista de Jacinda controla a pandemia. Nova Zelândia é outro papo. Não é à toa que a primeira-ministra é chamada de Santa Jacinda, o que é mais do que merecido.
Por falar nisso, o papa Francisco continua a sua pregação de paz, fraternidade e tolerância. Seu Chico tem razão. Ele sugere que todos se tratem como irmãos. O papa segue o que Jesus ensinou e o Malafaia não aprendeu.  

DROPS DO POETA VINICIUS DE MORAES

A vida é a arte do encontro embora haja tanto desencontro pela vida.

Ponha um pouco de amor na sua vida.

A vida vem em ondas como o mar.

Os bares estão cheios de homens vazios.
 

Veja também