Dia Mundial da Língua Portuguesa

António Montenegro Fiúza

«Este dia mundial é um reconhecimento justo da relevância global da língua portuguesa. Estou seguro de que o seu futuro continuará a ser enriquecido pela diversidade e solidariedade de todas as suas vozes.» Antônio Guterres, secretário geral das Nações Unidas, por ocasião do Dia Mundial da Língua Portuguesa 2021

Um dos aspetos cruciais da nossa socialização, e ao qual não concedemos a devida atenção – no viver quotidiano – é a nossa língua; tendemos a encará-la como um dado adquirido, algo inato e intrínseco. Embora seja objeto de estudo de linguistas e semiólogos, olvidamos o seu caráter global e o seu papel na formação de indivíduos, consciências e pensamentos. Então, precisamos de datas que no-lo relembre e  que reavivem a nossa memória.
Em 2009, a CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa) estabeleceria uma data oficial, para celebrar o marco tão importante que une identitária e culturalmente nove países, em quatro continentes: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Desde então, a 5 de maio, comemora-se o Dia da Língua Portuguesa.
Apenas em 2019, e legitimando a importância crescente da língua portuguesa enquanto promotora do desenvolvimento social e comunitário, essa data seria reconhecida mundialmente, pela Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.
Atualmente, celebramos a multiplicidade das vozes que concretizam a língua portuguesa, nos seus quotidianos; o papel que ela desempenha, enquanto língua global de educação, ciência, arte, cultura, economia, diplomacia e paz; enquanto um dos pilares para a comunicação internacional, para vários povos, nações e etnias.
A língua mais falada no Hemisfério Sul, e uma das mais faladas a nível mundial, consagra em si o multiculturalismo e a promoção de uma cultura de diálogo harmonioso e tolerância.
É esta a língua que queremos celebrar hoje, não apenas a de Camões, Bocage, José Saramago, Jorge Amado, Germano Almeida, Mia Couto, Pepetela ou Carlos Drummond de Andrade, mas a da Antônia, do João, da Maria, do Mamadu, da Sofia e da Karina; a das crianças que brincam nos seus quintais, pátios ou tabancas, das senhoras que vendem pelas ruas, dos escritórios e das empresas. Uma língua de todos, um idioma de união, é esta a língua que celebramos: a língua portuguesa.

«Uma língua de encontros. Na terra e no oceano.» Ernesto Ottone Ramírez, subdirector geral para a Cultura da Unesco por ocasião do Dia Mundial da Língua Portuguesa 2021
 

Veja também