E mais uma vez, de quem é a culpa?

EDITORIAL - Da Redação

Data 27/06/2020
Horário 04:31

Perto de completar 100 dias de quarentena no Estado de São Paulo, a região de Presidente Prudente não apresentou evolução positiva nos casos confirmados de Covid-19. Ontem, o governo estadual atualizou a lista de flexibilização das regiões, sendo que Prudente permaneceu na fase vermelha – a mais rigorosa. E agora, de quem é a culpa? Do próprio cidadão que não cumpre com as orientações dos órgãos de saúde para que #fiqueemcasa.

Na capital do oeste paulista, por exemplo, as confirmações alcançam recordes diários: 20, 27, 30, 32 de uma só vez. Apesar do crescimento acelerado do vírus no interior do Estado, o que já era esperado, por aqui parece que está tudo tranquilo. Basta andar pelo Parque do Povo a partir das 17h30 para ver a lamentável cena de pessoas praticando suas atividades físicas sem o uso de máscaras, ao mesmo tempo em que desrespeitam o distanciamento social. Outro exemplo são nos próprios supermercados, onde é costumeiro encontrar clientes ingerindo alimentos na fila do caixa, praticamente grudados nas costas de quem está na frente.

São esses os mesmos que fazem escândalos nas portas de unidades de saúde e ainda reclamam da demora nos atendimentos médicos. Nesta situação, vale lembrar da famosa expressão popular: “pimenta nos olhos dos outros é refresco”. A partir do momento em que o novo coronavírus der as caras entre os membros da própria família, é que vai cair a ficha do quanto é importante prezar pela vida do próximo. Até mesmo quem já esteve com suspeita da doença, por desrespeitar as normas sanitárias, reaprende o significado da palavra “respeito”.

Não é fácil ficar trancado em casa, mas vale o esforço. Se não houver uma mudança de consciência, os estabelecimentos comerciais considerados “não essenciais” continuarão sendo castigados pela falta de empatia daqueles que não entendem o real significado de isolamento social.

Publicidade
eixosp

Veja também