Estado entrega versão final do currículo paulista do ensino médio ao Conselho Estadual

Estudantes poderão escolher seus itinerários formativos para aprofundarem seus conhecimentos; implantação começará pela 1ª série em 2021

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 01/07/2020
Horário 17:26
Arquivo - Novo currículo busca elevar índices de aprendizagem e diminuir taxas de evasão Foto: Arquivo - Novo currículo busca elevar índices de aprendizagem e diminuir taxas de evasão

A Seduc (Secretaria Estadual da Educação) encaminhou nesta quarta-feira ao Conselho Estadual da Educação a versão final do currículo paulista referente ao ensino médio. O documento foi construído de maneira conjunta, desde no ano passado, com seminários regionais que envolveram mais de 160 mil estudantes e 18 mil professores.

Neste ano, a Seduc organizou seis seminários online, com a participação de 70 mil profissionais da rede para discutir o texto. No total o documento recebeu contribuições de 98.856 representantes da sociedade civil, além de professores e estudantes.

O resultado é um currículo alinhado à BNCC (Base Nacional Comum Curricular), homologada em 2018 pelo Ministério da Educação, às diretrizes para construção dos itinerários formativos e aos desejos dos estudantes do século 21.

Com sua nova formulação, o currículo pretende transformar e dar mais sentido à etapa final da educação básica elevando índices de aprendizagem e diminuindo taxas de evasão. 

"Esta etapa é fundamental. Aprovei a BNCC da etapa do ensino médio enquanto ministro do MEC, em 2018. Agora, como secretário de educação de SP, implementar esta política para a formação futura de jovens e adolescentes, é um grande desafio e, ao mesmo tempo, uma enorme satisfação", destaca o secretário da educação do Estado de SP, Rossieli Soares.

Na próxima etapa, o texto receberá os ajustes do Conselho do Estadual e seguirá para homologação do secretário.

A implementação ocorrerá de forma escalonada, a partir de 2021 aos alunos das 1ª séries do ensino médio. Em 2022, aos alunos das 1ª e 2ª séries, e em 2023 aos estudantes de todo o ciclo, incluindo PEI (Programa de Ensino Integral), EJA (Educação de Jovens e Adultos) e o ensino médio noturno. Hoje a rede estadual de São Paulo possui 1,2 milhão de alunos matriculados no ensino médio em mais de 3.700 escolas. 

 

A estrutura

O currículo paulista do ensino médio foi estruturado em duas vertentes: a formação básica de todas as áreas do conhecimento; e a dos itinerários formativos.

Os alunos terão como opção 11 itinerários formativos:

- Quatro áreas do conhecimento (linguagens, matemática, ciências humanas e ciências da natureza);

- Formação técnica e profissional;

- Seis áreas do conhecimento integradas (linguagens e matemática; linguagens e ciências humanas; linguagens e ciências da natureza; matemática e ciências humanas; matemática e ciências da natureza; ciências humanas e ciências da natureza).

Os alunos devem escolher o itinerário formativo de acordo com seu projeto de vida e as possibilidades ofertadas pelas escolas.

O aprofundamento curricular a ser ofertado na escola, será uma decisão da equipe gestora, junto aos professores, a partir do estudo de demanda feito com os estudantes.

Os componentes do Inova Educação como as disciplinas eletivas, tecnologia e inovação e projeto de vida também farão parte dos itinerários.

 

Formação de professores e material didático

Para garantir a implementação no currículo nas escolas, a Seduc vai investir em formação de professores e na construção de materiais didáticos.

Veja também