Esteroide catabolizante

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Interessante que alguns dos nossos hormônios são supervalorizados (ex. testosterona, progesterona, triiodotironina - T3), enquanto outros são praticamente detestados (ex. cortisol, insulina - defensores das dietas low carb e cetogênica “arrepiam”). Mas o que seria de nós numa situação de estresse, durante a madrugada de jejum ou algumas semanas de dieta cetogênica, sem nosso esteroide catabolizante?

Esteroides

São todas as moléculas produzidas a partir do colesterol, incluindo a vitamina D e cerca de sete hormônios principais e outros não menos importantes. Testosterona e progesterona são secretados pelas gônadas e são anabolizantes dos músculos e do tecido adiposo, respectivamente. Cortisol é secretado pelo córtex das glândulas adrenais e é catabolizante nos músculos e no tecido adiposo.

Eixo

 Tudo começa numa situação de estresse, inclusive o exercício físico, ou jejum prolongado, quando a concentração de glicose deve ser mantida pelas reservas e produção de mais glicose. Dieta cetogênica também causa essa situação. O hipotálamo secreta o hormônio CRH que estimula a glândula que fica abaixo dele, a adenohipófise, a quebrar a molécula de POMC em três outras: MSH, lipotrofina e ACTH. Esta última vai para o sangue e segue para estimular as glândulas adrenais a secretar o hormônio do estresse, o cortisol.

Fígado e rins

A manutenção da glicemia é a prioridade, por isso os dois processos mais importantes são o catabolismo (quebra) do glicogênio no fígado e a produção de mais glicose no fígado e rins. Esse último processo (gliconeogênese) é o que suporta o jejum prolongado de dias e as semanas ou meses de dieta cetogênica.

Tecido adiposo

Neste tecido o cortisol tem efeito de catabolisar a gordura, já que esta é um combustível “de emergência” nestas situações mencionadas. Os ácidos graxos são as pequenas que podem ser “queimadas” nos músculos, coração e fígado, principalmente. Mas a queima significativa só acontece quando os músculos estão ativos no exercício físico. Outros efeitos significativos do cortisol são a inibição da função imune (“ruim”) e efeito anti-inflamatório, por isso algumas pessoas usam medicamentos análogos a esse corticosteroide, os anti-inflamatórios esteroidais.

Músculos

 Sim, em dietas com restrição de carboidratos, dietas com restrição severa de Kcal, durante exercício intenso ou de intensidade moderada e prolongado, o cortisol tem efeito de catabolizar também as proteínas musculares. Isso pode ser considerado “ruim para você”, mas é uma necessidade do organismo ante a condição que “você mesmo” está impondo ao seu corpo. Treinamento tem os benefícios e não dá para evitar, mas escolhas de dietas inadequadas podem ser evitadas com orientação de uma nutricionista que respeita os princípios da fisiologia e do metabolismo, e não de profissionais de saúde que seguem a moda da ocasião e vão provocando desequilíbrios.

Veja também